ALL x EVERYTHING: qual é a diferença entre as duas?

Michael Jacobs

ALL x EVERYTHING

Uma leitora, agradecida por eu tê-la ajudado a esclarecer uma determinada dúvida, enviou-me gentilmente um e-mail em inglês em que dizia Thank you for all – presumo, pensando na expressão em português “Obrigada por tudo”. Claro que não é preciso ser nenhum expert no assunto para chegar a “tão brilhante” conclusão, nem tampouco comentaria a respeito, se não houvesse um pequeno erro na frase… “Erro?”

all x everything

Posso até ouvir você perguntando: “Onde está o erro?” Acontece que all não é a palavra adequada para referir-se a “tudo” quando usada sozinha. O ideal seria utilizar a palavra everything. Se a leitora tivesse dito Thank you for everything, eu não teria estranhado e simplesmente teria arquivado a mensagem dela na pasta “Elogios” (que ultimamente anda um pouco magra…). Outras opções seriam: Thank you for all you did; Thanks for all your help.

Mas, por que a palavra all não deve ser usada sozinha? (Uma pausa aqui para eu consultar se devo escrever “por que”, “por quê”, “porque” ou “porquê”. Bem, o meu Manual de Redação e Estilo, de Eduardo Martins, publicado pelo jornal O Estado de São Paulo, afirma que deve ser “por que” mesmo. Então acertei de primeira!)

Aproveitando a deixa, permita-me apresentar-lhe uma pequena tabela que acabei de elaborar para facilitar as minhas consultas quando estou escrevendo em português, evitando assim tantas idas ao manual.

por que

Por que (perguntas diretas/indiretas) = WHY
Por que (situações em que se pode substituir por “pelo/a qual”, “pelos/as quais”) = SO THAT; FOR; WHICH
Porque (explicação ou causa) = BECAUSE
Por quê (quando a expressão encerra o período) = WHY
Porquê (substantivo, equivalente a causa, razão, motivo) = THE REASON WHY; THE REASON; THE MOTIVE

Caramba! Dessa vez “viajei” por outros mares, mesmo. Desculpe-me. Onde estávamos mesmo? Ah, sim! Por que (pronto, já batizei minha tabela) a leitora deveria ter usado a palavra everything em vez de all? Os meus alunos deliram fazendo esse tipo de pergunta, então…. para aqueles que não aceitam um simples: “Porque (a tabela novamente) eu disse e não se fala mais nisso”, vamos lá. Agora, se confia em mim, se quiser ganhar tempo, se acha as explicações entendiantes ou, ainda, se sequer se interessa pelos porquês (viu só? Usei a minha tabela de novo!), pule o próximo parágrafo (skip the next paragraph)…

…Ainda está aqui, seu desconfiado? Então vamos lá. Mas quero alertá-lo de que é bem mais fácil e eficaz simplesmente aceitar o fato e pular a explicação em casos similares a esse.

ALL

A palavra all, quando usada sozinha, é um adjetivo (all the windows were open; all day, ou seja, “todas as janelas estavam abertas; o dia todo”).

EVERYTHING

Everything é um pronome. No exemplo que citei, o erro acontece porque (quarta vez) all não está cumprindo a sua função, o seu dever como todos os adjetivos devem fazer, ou seja, não está modificando algo. Em outras palavras, all precisa de algum complemento, um objeto. Estou tentando simplificar ao máximo esta explicação, pois os vários usos de all a tornam uma palavra muito complexa. Só para você ter uma idéia, para mostrar isso o meu dicionário dá nada menos que 21 (vinte e um) sentidos para a mesma.

Observe estes exemplos que vão ajudá-lo a entender mais claramente: Thanks for all your help = Thanks for everything; I love all of her songs = I love everything she sings; All of me, why not take all of me (tudo de mim, por que não leva tudo de mim). Reconhece a letra da música? (E pude novamente usar a minha tabela!) All, nestes casos, é complementada por algo.

Há uma exceção a esta regra? Certamente que há! Afinal, inglês parece ter mais exceções que regras propriamente ditas. (E qualquer semelhança com o português é… semelhança!) Atenção, atenção. A regra é… Quando all for um tipo de expressão adverbial, como in all (em todos), not at all (de nada), once and for all (de uma vez por todas). Pode também ser usada em perguntas, numa forma elíptica (Is that all?), e quando há um pronome antes – como em I want them all (“quero todos”), outra maneira de dizer I want all of them.

E para aquela pessoa educada no sistema americano, sem dúvida irá se lembrar da última linha de “The Pledge of Allegiance” (A Promessa de Fidelidade), que termina com “liberty and justice for all”.

Bem, está mais claro agora? I hope so but I have my doubts (espero que sim, mas tenho lá minhas dúvidas).

Ah, e para você que seguiu meu conselho e achou melhor pular as explicações, solenemente ignorando o último parágrafo, ganhou um bom tempo para ler um gibi ou se dedicar à leitura de um bom livro… em inglês, of course.

Quero aqui deixar bem claro que nada tenho contra alunos que fazem perguntas. É um prazer ajudar. O que sinto é que muitos “questionamentos” podem atravancar o progresso do aprendizado. Para mim, há uma enorme diferença entre perguntar e questionar. Mas você pode dizer: “Isto é coisa do Prof. Michael.” E é mesmo.

all x everything

Para terminar de uma maneira mais leve, acho que todos (everybody ou everyone, e não all) devem ter ouvido a história da origem da palavra “forró”. O que me foi contado, logo que cheguei ao Brasil, é que a palavra “forró” veio do inglês for all, pois era assim que certos gringos estendiam seu convite escrito num cartaz para o baile para todos – americanos, ingleses e brasileiros também. Sempre mantive um pé atrás com esta explicação, meio vaga demais para o meu gosto. Aliás, a expressão que acabei de usar, “com um pé atrás”, se traduz muito bem para to take it with a pinch of salt (levar com uma pitada de sal). Ambas têm a mesma lógica, na minha opinião (ou seja, nenhuma).

Sabemos que “forró” é de origem nordestina, significando “forrobodó” ou “arrasta-pé”, música e dança aparentando o baião, mas com andamento mais acelerado. Fico aliviado com esta explicação, digamos, mais acadêmica, reforçada pelo fato de que no meu Novo Aurélio não há menção da origem (for all, conforme escrito por meus patrícios) tão pitoresca. E jamais quero imaginar aqueles gringos escrevendo seus cartazes com os dizeres For All, quando, talvez, deveriam estar escrevendo For Everybody.

Speak up! We’re listening…

Gostou das dicas do Prof. Michael Jacobs? Você já conhecia a diferença entre “ALL x EVERYTHING”? E da tabela dos “porquês”? Nós do Tecla SAP gostaríamos de conhecer a sua opinião. Por favor, escreva um comentário para a gente no rodapé da página. Muito obrigado!

Dúvidas de inglês? Pergunte no Fórum!

As dúvidas são agora esclarecidas no Fórum Tecla SAP. Participe! É grátis e você ainda ganha brindes exclusivos. E, é claro, aperfeiçoa seu inglês por tabela.

Referência: “Como melhorar ainda mais o seu inglês” de Michael Jacobs – Editora Campus/Elsevier, 2003. Leia a sinopse para obter mais informações sobre o livro e adquirir seu exemplar com conforto e total segurança no site da Disal Distribuidora.

Follow me

Ulisses Wehby de Carvalho

Chief Executive Blogger at Tecla SAP
Intérprete de Conferência e Chief Executive Blogger do Tecla SAP. Envie sua dúvida para o Fórum Tecla SAP. Adicione meu perfil no Google+ aos seus círculos e receba conteúdo exclusivo. Obrigado!
Follow me

About Ulisses Wehby de Carvalho

Intérprete de Conferência e Chief Executive Blogger do Tecla SAP. Envie sua dúvida para o Fórum Tecla SAP. Adicione meu perfil no Google+ aos seus círculos e receba conteúdo exclusivo. Obrigado!
Bookmark the permalink.
  • Pingback: EVERY DAY x ALL DAY: qual é a diferença entre as duas?()

  • Pingback: Chutar o balde: como se diz essa expressão em inglês?()

  • higor moreira

    entre as duas frases (um pouco arcaicas), qual é a mais correta:
    ‘Where All Shall Go Into’
    ‘Where Everything Shall Go Into’

    é para uma pesquisa de ingles…

  • Fábio Costa

    É improvável que a palavra forró tenha se originado da expressão inglesa “for all”. Segundo renomados etimologistas, o mais provável é que forró, “baile popular em que casais dançam ao som de ritmos nordestinos”, seja simplesmente a forma reduzida de forrobodó, termo existente no português brasileiro desde o século 19 e de significado igualmente festivo, embora não restrito ao Nordeste. Registrada em dicionário pela primeira vez em 1899, a palavra dá nome a uma opereta de Chiquinha Gonzaga que estreou em 1911 no Rio de Janeiro.

    Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/consultorio/forro-vem-de-%E2%80%98for-all%E2%80%99-conta-outra/

  • Argel

    Não poderia ser “for all the people” e pelo passar do tempo ter ficado somente o “for all”?

  • fabiobossard

    A versão pra forró em referencia a forrobodó também é conhecida.

  • http://toxicaedoce.blogspot.com Jannah

    Ótima explicação!!! Congrats

  • Pingback: O que significa "ACCOUNTED FOR"? | Tecla SAP()

  • Pingback: Resenhas de Livros: Helbling Readers - Disal | Tecla SAP()

  • Pingback: Resenhas de Livros: Gems of Wisdom | Tecla SAP()

  • Kennedy

    ty for ‘everything’ :D

  • http://twitter.com/filipeboura Filipe

    Excelentes dicas. Teclasap desde 2008 ajudando a galera :D

    Tomei conhecimento do site/twitter/facebook apenas no final do ano passado, então tem muita coisa pra ler aqui no site. Parabéns pelo trabalho. Abraço.

  • Túlio

    Oi,tudo bem?
    Boa dica essa.
    Eu tenho uma dúvida sobre como usar “também”, pq temos also, too, as well, likewise e either para também.

    Então em quais situações eu devo escreve cada um deles?

    Obrigado

  • Pingback: Como é “dar a volta por cima” em inglês? » Yara Bastos Centro de Idiomas()

  • Leo Campos

    E se eu quiser dizer “obrigado a todos”?
    Posso dizer “thank you all”?

    • http://www.teclasap.com.br/blog Ulisses

      Leo,

      Pode, sim. Volte sempre!

      Abraços a todos

  • Pingback: Como se diz "dar a volta por cima" em inglês? | Tecla SAP()

  • RuthSodere’

    Bem eu já me confundi muito com o “All” e o “everything” ,são palavras meio q comuns de se errar, mas existe frases como o que vc citou “thank you for all” que podemos errar usando o evrything?

  • Pingback: Frases Célebres: Luiz Inácio Lula da Silva | Tecla SAP()

  • Pingback: George Clooney | Tecla SAP()

  • Pingback: Deu forrobodó no forró « Internetcidade: cidades e pessoas ligadas, em rede, com o mundo()

  • Pingback: Promoção: Top 10 da semana | Tecla SAP()

  • Jen

    Eu soh uso o all e o everything de acordo com o que o instinto manda. Sai naturalmente. Mas obrigada pela explicação. ;)

  • Pingback: Como Dizer Tudo em Inglês nos Negócios | Tecla SAP()

  • Pingback: Como se diz "balada" em inglês? | Tecla SAP()

  • Adelcio de Almeida Meira

    Ulisses,

    Você não pode deixar de comentar nenhum artigo. Ficou provado que você é um expert no assunto. Permita-me parabenizá-lo e nota 100 pelas suas “paradinhas” para comentários, a meu ver,necessários: afinal de contas sempre vão enriquecendo nossos conhecimentos.

    Que Deus o abençoe!

    Adelcio

    • Ulisses

      Adelcio,

      Obrigado pela visita e pelo comentário gentil. São palavras como a de leitores como você que me dão mais estímulo para continuar com o trabalho. Volte sempre e comente mais vezes! Valeu!

      Abraços a todos

  • Israel Farias

    Ulisses, Ulisses, Ulisses…admiro demais essa tua maneira singular de escrever. Parabéns e continue disseminando saberes aos que o inglês realmente interessa. Abraço.

    • Ulisses

      Israel,

      Tudo bem? Agradeço muitíssimo a gentileza em nome do blog, mas o texto em questão não é meu. No alto da página e novamente no rodapé, está o nome de Michael Jacobs. Ele é colaborador assíduo do Tecla SAP e a confusão é frequente.

      Abraços a todos

  • Pingback: Falsas Gêmeas: EVERY DAY x ALL DAY | Tecla SAP()

  • Michelle

    Boa noite!eu nunca tinha ouvido falar no tecla sap,mais hoje estava querendo esclarecer minhas duvidas sobre o All e o Everything e achei o Tecla Sap no google,e fiquei muito feliz!
    Vou deixar o Tecla Sap add no meus favoritos pois,me ajudou bastante e também terminei meu curso de inglês faz uns dois anos e tem muita coisa que não lembro e estou estudando sozinha sempre buscando em sites e em livros e esse blog caiu como uma luva!!
    Estarei aqui constantemente!otimo trabalho =)

    Abraço a todos

    • Ulisses

      Michelle,

      Obrigado pela visita e pela mensagem simpática. Fico contente em saber que as dicas serviram para te ajudar a aprender/relembrar a diferença entre “all” e “everything”. Volte mais vezes.

      Abraços a todos

  • Nadia

    Oi!! Tenho aprendido muito com o Tecla SAP. Agora que descobri, estarei sempre por aqui.
    Acabei de ler a explicação do Prof. Michael Jacobs. Muito esclarecedora! Ao mesmo tempo, vejo aqui ao lado um “English for all”. Neste caso, está incorreto ou é um caso aceitável, similar a letra de algumas músicas?
    Obrigada e um abraço a todos!!!!

    • Ulisses

      Nadia,

      Tudo bem? Obrigado pelo comentário e pelo interesse no Tecla SAP. Como você mesma já indicou, trata-se de um caso de “licença poética”. ;)

      Abraços a todos

  • Pingback: Not Just Hamburgers! | Tecla SAP()

  • Pingback: Qual é a origem de "OK"? | Tecla SAP()

  • Pingback: Resenhas de Livros: Slang Activity Book | Tecla SAP()

  • Pingback: Qual é o certo: "IN A FARM" ou "ON A FARM"? | Tecla SAP()

  • Pingback: Como ter fluência em inglês? | Tecla SAP()

  • Pingback: Como se diz "chutar o balde" em inglês? | Tecla SAP()

  • Pingback: Textos Mastigados: Charles Lindbergh Flew to Paris, and Into History, 80 Years Ago | Tecla SAP()

  • Pingback: Qual é a pronúncia de "BAUXITE" em inglês? | Tecla SAP()

  • Pingback: O que significa "PERIOD"? | Tecla SAP()

  • Pingback: Ok! Curiosidades Divertidas do Inglês | Tecla SAP()

  • Pingback: Expressões Idiomáticas: DREAM COME TRUE | Tecla SAP()

  • Pingback: Citações: Mark Twain | Tecla SAP()

  • Pingback: Expressões Idiomáticas: Acertar os ponteiros | Tecla SAP()

  • Pingback: Ortografia: Is it Christmas or Xmas? | Tecla SAP()

  • Pingback: Gramática: GRINGOS ALSO MAKE MISTAKES | Tecla SAP()

  • Pingback: Artigo: CLASS OR NO CLASS? | Tecla SAP()

  • Pingback: Textos Mastigados: Banks Look to Expand Microfinance Services | Tecla SAP()

  • Pingback: Artigo: BARBECUE IN ABUNDANCE | Tecla SAP()

  • Pingback: Provérbios: Cada macaco no seu galho. | Tecla SAP()

  • Ulisses

    Silvania,

    Obrigado pela visita e pelo comentário gentil. Volte mais vezes.

    Abraços a todos

  • http://www.silvania.al.zip.net Silvania

    Um site de qualidade para conhecer um idioma que não convivo com suas expressões..que nos indica a não realizar erros no ” for all” , a partir de agora nada de erros…
    Parabéns pela simplicidade e clareza de conteúdo.

  • Ulisses

    Fred,

    Tudo bem? Obrigado pela mensagem simpática e pelo interesse no Tecla SAP. É muito bom ficar sabendo que o blog e útil também para quem está aprendendo a língua portuguesa.

    Observe, no entanto, que nem todos os textos pulicados aqui são de minha autoria. O texto com a tabela dos “porquês”, por exemplo, é do Michael Jacobs, um inglês que mora no Brasil há mais de 30 anos. Sua intenção, creio, é a de mostrar aos brasileiros que o processo de aprendizado de um idioma estrangeiro é lento e complicado ao dar exemplos de sua própria dificuldade ao aprender o português.

    A história da caneca é minha mesmo! ;) Meu objetivo foi imprimir um toque pessoal e descontraído ao blog.

    Abraços a todos

  • Fred

    I’ve told you this before and I say it again – your site is FANTASTIC! As an English speaker, it never fails to teach me Portuguese!! :) And thank you very much, man, I do appreciate it!

    Now that being said, I don’t understand why you’re always trying to somehow show your readers you’re not better than they; whereas you are!! I’ll give you an example: I was reading this post, and although I did find that table of yours so very incredibly useful (OMG Portuguese is so ridiculously complicated!), I couldn’t help but think that you were doing that as a way to show your readers that, ‘Hey, I have my doubts too!’. And I had that same feeling reading that one with the empty mug you zapped in the microwave.

    Checking a dictionary or a cheatbook or what not is part of a writer’s job, yeah? And they usually don’t mention that they do it, so I was a little taken aback, that’s all.

    So please correct me if I’m wrong, but that’s the impression that I get when you sidetrack like that. You have every right to brag!! You have worked hard, you’re incredibly smart and talanted, and you probably speak better English than most Americans I deal with in my everyday life (including, natually, myself).

    Also, the other day I was watching that video of yours (the one on the link at the top of the page) and it might’ve been that I didn’t understand a good chunk of what you guys were saying, but that TV host is just flat out rude and a conceited blabbermouth. So well done there, for I would’ve simply told him to shut up!! :P

  • Ulisses

    Aline,

    Obrigado pelo elogio ao blog. Agradeço também em nome do Michael, autor do texto. Valeu!

    Abraços a todos

  • Aline

    Olá!
    simplesmente esse artigo é fantástico!

    parabéns pelo blog, a cada dia ele fica mais interessante e auxilia nos estudos do idioma
    :)

  • Ulisses

    Bruna,

    Que depoimento bacana! Obrigado de coração. Esse é o tipo de influência que dá gosto exercer! Boa sorte na retomada dos estudos.

    Abraços a todos

  • Bruna Larissa

    Olá!

    Quero dizer que o seu site é SIMPLESMENTE FANTÁSTICO!!! Adoro mesmo!!! Muito bom, completo de coisas que vão do básico até riqueza de detalhes!
    Parabéns pela idéia e pelo trabalho! Este site me influencia a voltar a estudar o idioma.

    Abraços,

    Bruna Larissa

  • Ulisses

    Paula,

    Obrigado pelo comentário acima. Desejo boa sorte nesse reinício dos estudos. Volte sempre!

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Maria Antonieta,

    Tudo bem? Quem agradece sou eu pela gentileza de seu comentário. Volte sempre!

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Cleiton,

    Obrigado pela mensagem simpática. Acho que vou incluir os dizeres “Aprecie com moderação” no final dos textos… ;)

    Abraços a todos

  • Paula Calmon

    OLáaaaaaaa

    Voltei a estudar Inglês a pouco tempo !
    11 anos sem falar a lingua…… Quase tudo perdido!

    Quero agradecer por sempre me acrescentar algo!
    E reforçãr o que outros já disseram, aqui é uma fonte fidedigna!!!

    Sempre leio os artigos e todas as atualizações ficam marcadas em meu e-mail!
    pretendo ser professora algum dia!
    THANK YOU FOR EVERYTHING!!!

  • Maria Antonieta

    Gostaria de agradecer ao Prof.Michael Jacobs e a voce Ulisses por proporcionar tantas oportunidades no aprendizado tanto do idioma Ingles /Portugues; como informando outros sites tao uteis como o do Prof. Moreno. Adoro o “Tecla sap” e recebo ” Feed Blitz” em minha caixa de e-mail todos os dias. “THANK YOU FOR EVERYTHING”.

  • Cleilton

    Show de bola!!!
    Estou a cada dia, mais viciado no teclaSap!!
    Se por acaso sofrer complicações de saúde, por passar muito tempo na frente do computador, estudando, já sei quem processar!! rsrsrrs
    prepare o bolso viu Ulisses and Michael!!
    rsrs

    excelente post!

  • Ulisses

    Elói,

    Obrigado pela gentileza de seu comentário. Agradeço também o link para o excelente blog do Prof. Cláudio Moreno, não só porque ele confirma a explicação dada pelo Prof. Michael Jacobs, como também serve de fonte de consulta confiável. Aliás, já vou colocar um link aqui na lista de blogs (ou “blogues” como ele mesmo escreve) recomendados.

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Sérgio,

    Tudo bem? Obrigado pela participação aqui no Tecla SAP. Não creio que o exemplo que você menciona seja exceção à regra. Não assisti à transmissão, mas suponho que a apresentadora (Whoopi Goldberg?) disse “Good night you all” ou ainda “Good night y’all”, que é expressão muito usada, especialmente no sul dos EUA.

    Abraços a todos

  • Elói

    Tenho apreciado a Tecla SAP por um certo tempo. Manifesto-me pela primeira vez porque este artigo veio a reforçar a minha opinião de que aqui se encontra uma das fontes mais confiáveis para aqueles que querem saber mais sobre inglês e até português.

    Em relação a mencionada origem da palavra “forró”, gostaria de deixar um link do blog do professor Cláudio Moreno (um grande estudioso da nossa língua). Ele comenta sobre a origem da palavra num tom um tanto severo, porém fatual. Aí vai:

    http://www.sualingua.com.br/02/02_nas_coxas.htm

    Valeu por ter sempre algo a acrescentar!

  • Paulo

    Gigi D’Agostino Letra e Vídeo no Kboing

    You light my night
    Make me feel so right
    You dry all my tears
    Take away my fears

    So I thank you for all
    The rain falls to sing
    And I thank you for all those emotions
    That I keep within
    ’cause I am alive
    Like nature in spring
    I’m a sunshine it seems
    Like I’ve never been
    So I thank you it’s simple and clear
    And it’s all that I feel

    I reach the leaves
    Oh the magic appears
    I’m riding the wind
    Tell me what does it mean?

    So I thank you for all
    The rain falls to sing
    And I thank you for all those emotions
    That I keep within
    ’cause I am alive
    Like nature in spring
    I’m a sunshine it seems
    Like I’ve never been
    So I thank you it’s simple and clear
    And it’s all that I feel

  • Sergio Ricardo Almeida

    Olá, Ulisses.
    Acho que poderia acrescentar mais um exemplo nas “excessões”
    Eu adorava assistir (ainda adoro) à entrega do Oscar no original sem legenda e tradução só para treinar meu inglês.
    Numa dessas entregas a apresentadora, encerrando a noite, para despedir-se de todos, ela disse “Good night all”, que eu entendi ser obrigado à todos. Nesse caso “all” é implicitamente um objeto, não é?

  • Ulisses

    Mércio,

    Tudo bem? Agradeço em nome do Prof. Michael Jacobs, autor do texto. Volte sempre!

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Alba,

    Tudo bem? Obrigado pela visita e pelo comentário. Agradeço enormemente as palavras simpáticas. É muito bom saber que tem gente prestando atenção. Volte sempre!

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Samir,

    Obrigado pela participação constante aqui no Tecla SAP. É bom saber que temos leitores assíduos e atentos. Valeu!

    Abraços a todos

  • Mércio Proveti

    kkkkk…. cara.. Adorei o texto… principalmente a sua paradinha para consulta transcrita no texto… Muito bom…

    Bem… Quando comecei a ler, achei super normal o “all”.. mas quando vc disse que havia um erro, a primeira coisa que me veio na cabeça foi o “everything”. É lógico que se vc não mencionasse o erro, eu iria passar direto.

    Quanto a eu não ter pulado o parágrafo (confesso que não pulei.. hehe), oras.. eu confio na tua palavra, mas é sempre bom saber os porquês (consultei a sua tabelinha.. ahahahah).
    Acho que é mais fácil de “gravar”, quando vc entende e não somente aceita. bom.. Essa é a minha opinião. aliás, lembro-me do meu professor quando fazia aulas de inglês. Ele dizia: “… Mércio, não brigue com o inglês..” Ele se referia a minha “mania” de tentar entender tudo… kkkk…

    Muito divertido o teu post. Muito bom mesmo. Você tá ficando bom nisso hein cara…!!! hehehe!!

    Ps.: Essa é pra ir para a sua pastinha de elogios.. Ahuahuahuau!!

    Abraços meu jovem e que Deus Paizinho continue te abençoando.

  • Alba

    Ulisses,

    Creio que você já recebeu inúmeros parabéns pela qualidade de seu site e por ajudar tantas pessoas a entenderem melhor o idioma inglês (e o próprio idioma vernáculo!).
    Meu comentário, no entanto, é para cumprimentá-lo por uma outra qualidade que observo em sua atitude em relação aos leitores e participantes do site: a extrema elegância e a gentileza com que você se reporta aos erros cometidos, sem deixar de aproveitar sempre uma oportunidade de ensinar algo novo.

    Abraços,
    Alba

  • Samir

    Ulisses, tudo bem? Este artigo do Michael é muito interessante. O exemplo da palavra “forró” é muito útil, pois a origem dela confunde muita gente mesmo. Eu, como sou muito curioso, já havia lido sobre a origem da palavra, portanto já sabia.
    Grande abraço.