• Nancy

    GOOD MORNING! EXCELLENT INFORMATIO, ABOUT BLACK CONSCIOUSNESS THANK YOU.

    • Nancy, tudo bem?

      Muito obrigado pelo comentário. Fico feliz em saber que o texto foi útil para você.

      Abraços

  • Pingback: ()

  • Ana, tudo bem?

    Muito obrigado pela contribuição. Agradeço em nome de todos os leitores do Tecla SAP. Volte sempre!

    Abraços

  • Muito bom! Aqui na Irlanda naturalmente não se fala african-american, usam black para se referir a negros. Até onde sei não há termos politicamente corretos ou prejorativo para negros. O país é bem mente aberta, vide Phil Lynott.

    • Carlos, tudo bem?

      Muito obrigado pelo comentário e pelo elogio ao texto.

      Existem termos pejorativos e ofensivos (nos mais diferentes níveis de agressividade) em todos os países de língua inglesa. Você não os conhece e, espero, nem precise conhecê-los.

      Em todos os países, meu caro, há gente de mente aberta e a turminha da Idade Média. A Irlanda não é diferente…

      Abraços

  • Raphael, tudo bem?

    Muito obrigado pelo interesse no Tecla SAP. Algumas observações sobre seu comentário.

    Em primeiro lugar, não fui eu quem criou a expressão “African-American”. Segundo, se um determinado grupo prefere se autodenominar de uma forma, não cabe a quem está de fora emitir juízo de valor.

    Abraços

  • Gustavo, tudo bem?

    Muito obrigado pela contribuição. Não me lembro dessa cena em particular (assisti ao filme há muitos anos) nem em que contexto a frase é empregada.

    É importante ressaltar que o filme é uma comédia e que a expressão não representa nenhuma data comemorativa oficial nos Estados Unidos. O exemplo serve, no entanto, para comprovar que a frase seria entendida perfeitamente no idioma inglês, mas ainda assim carece de uma explicação adicional se estivermos nos referindo à celebração no Brasil.

    Volte sempre! Valeu!

    Abraços

  • Douglas Ferreira

    otimooo

  • Beatriz Rodrigues

    E mais uma vez percebemos o quanto um idioma esta intrínseco na história e cultura de um país.

    Texto muito bom.

    • Beatriz, tudo bem?

      É parte integrante. Não pode ser “vendido” separadamente. 😉

      Obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre.

      Abraços

  • Léa Denise Simões Alves

    Como sempre você e seu trabalho são simplesmente “Fantásticos” ! Muito obrigada!

    • Léa, como vai?

      Muito obrigado pelo feedback simpático. Volte outras vezes e comente sempre que puder.

      Abraços

  • Maraiza

    Adorei o texto, muito interessante e bem explicativo!

  • Tayná Moreira

    Adorei a dica, sempre quis saber como falava isso. haha

  • Carol

    Muito bom, Ulisses

  • Pingback: ()

  • Cintia Martins

    Muito bom o texto.
    Parabéns!

  • Caesar Baruffaldi

    Black Awareness Day…

  • Yukii Sakamoto

    muito show valeu apena para o meu trabalho

    • Ulisses Wehby de Carvalho

      Yukii, tudo bem?

      Obrigado pelo comentário. Volte mais vezes!

      Abraços

  • Rafael Nelvam

    Acho q a expressão “awareness” não cabe bem, pois geralmente é usada em campanhas cujo tema o público desconhece (http://en.wikipedia.org/wiki/Raising_awareness). Diferente do termo “consciência”, “awareness” parece se associar mais a doenças ou tragédias. Acho que “pride” seria melhor.

  • Boa tarde!

    Ulissses,
    Excelentes dicas! e parabéns pelo ótimo canal de ensino.

    Atnciosamente,
    Alex Sandro Alves Miranda

    • Alex Sandro, tudo bem?

      Obrigado pelo feedback simpático. Volte sempre, meu caro!

      Abraços a todos

  • Pedro HSB

    Ulisses, uma sugestão de post é para pessoas que querem fazer o visto americano e é claro a primeira viagem para os Estados Unidos (que formulários temos que preencher, como devemos agir, onde devemos ir), com informações para ajudar-nos a fazer a primeira viagem, o que seria bem útil para todos os membros da Tecla SAP que nunca foram aos EUA.

    Desde já, agradeço pelo compartilhamento das dicas, que são úteis a todos nós que estamos aprendendo inglês; agradeço também pelo site maravilhoso, que por sinal sempre indico para todas as pessoas, até para professores fluentes em inglês, até porque “ter fluência” não significa “saber tudo”, temos que estar em constante aprendizado da língua inglesa…

    Um abraço,
    Pedro HSB

  • Cristiane Santos

    Estava traduzindo um calendario dos feriados no brazil para enviar a matriz de onde trabalho nos EUA e me veio a tradução: “black’s culture valorization day.” porque neste dia celebramos a valorizaçào da cultura negra nào? seria incorreto esta traduçào..?

  • Keith Davis

    olá pessoal, como vai? espero que muito bem. olha, eu sendo um afroamericano que aprendeu português acho muito correta sua traduçao de Dia de Conscientizaçao Negra(Black Consciousness Day ou Black Awareness Day. Parabéns e um abraço, Keith Davis do estado da Carolina do Norte, USA.

    • Keith,

      Obrigado pelo feedback! Que coincidëncia, estive na Carolina do Norte, em Raleigh, várias vezes esse ano!

      Abraços a todos

      • Keith Davis

        ah você esteve em Raleigh? nossa! que legal! mas fica muito longe de minha cidade Gastonia,perto de Charlotte.

        • Keith,

          Faz 3 anos que tenho trabalhado em Raleigh, fazendo tradução simultânea para uma das empresas que têm seu centro de pesquisa no RTP. Acho que posso afirmar que conheço a “Southern hospitality”, né? 😉 Conheço muitas cidades em diversos estados americanos e gosto de todos eles, mas a Carolina do Norte é especial…

          Abraços

  • Alice Bispo

    Fantástico

  • Site de grande utilidade no assunto

  • Dorian

    Sem a mínima intenção de criar polêmicas, mas com o intuito de esclarecer, a Consciência Negra e a festa que é comemorada nos EUA são, ao meu ver, completamente diferentes para se fazer um paralelo como fora feito em alguns textos desse site. Nos EUA há toda uma história de repressão, luta contra essa repressão, seus vários representantes, como Malcon X, M.L. King, etc. Há um contexto, uma história, aliás, toda uma cronologia, um histórico de acontecimentos. Aqui não; aqui simplesmente se elegeu um dia para a consciência negra. Ao meu ver é um feriado para as pessoas reforçarem a consciência de que o negro tem uma data onde é reforçada a idéia de que e para que, acima de tudo, todos tomemos consciência de como ele é legitimamente reconhecido como pessoa e cidadão no Brasil. Que eles têm uma força e uma voz.

  • lia

    Estou começando a aprender ingles e nossa professora sugeriu entrarmos neste blog.Aproveito para dizer que vou acompanhar as questões postas e seus comentários. Escolhi esse, por achar muito bem comentado e o tema pertinente para sabermos como falam e escrevem em ingles. Obrigada!

    • Ulisses

      Lia,

      Obrigado pela visita. Diga a sua professora que eu a agradeço pela ajuda na divulgação do Tecla SAP. Espero que você e seus colegas voltem mais vezes e aproveitem as quase 2 mil dicas do blog. Valeu!

      Abraços a todos

  • hahahahahhahahaha naum vou falar pq vc naum descobri

    muito nada vê isso eu achei que naum tem nd vê

  • Ulisses

    Débora,

    Obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre!

    Abraços a todos

  • debora

    sai-t otimo!!!

    BjO a tds…

  • josalara

    legal gostei[:)]

  • Ulisses

    Xinga Linga,

    Valeu! Volte outras vezes.

    Abraços a todos

  • gostei

  • lokiii

    oiiiii

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Danielle,

    Tudo bem? Obrigado pelo interesse no blog. Não vejo motivo para estranhamento, pois “black” é termo aceito sem maiores restrições, principalmente, fora dos Estados Unidos. É verdade que “African American” vem sendo a alternativa preferida nos EUA mais recentemente (como afirmei no post original) mas a denominação não se aplica aos afro-descendentes que criaram raízes em outros países. Eles deram alguma sugestão para descrever o movimento de consciência negra no Brasil? Como não é possível usarmos “African American”, que outra alternativa seria mais apropriada?

    Abraços a todos

    • José Nascimento Jr.

      Apesar de concordar que o termo “African American” não se aplicaria à nossa realidade, dou preferência a esse termo quando preciso explicar o Dia da Consciência Negra aos americanos com quem trabalho, justamente para que seja mais fácil para eles entenderem o propósito da data — ou seja, acabo me referindo à data como “African American Awareness Day”. Ainda assim algumas pessoas tem um pouco de dificuldade em encontrar qualquer similaridade com uma data tipicamente americana. Da próxima vez em que eu precisar mencionar (ou explicar) a data para algum americano, vou tentar fazer uma relação com o dia de Martin Luther King, Jr, como você sugere. 🙂

  • Danielle Sales

    Ulisses, acredita que usei “Black Awareness Day” numa lista de discussão americana da qual participo e elas estranharam? Disseram que era estranho alguém usar esses termos em tempos do “politicamente correto”…

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Paulissima,

    Obrigado pela participação e pelo texto.

    Abraços a todos

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Carmela,

    Obrigado pelo interesse. Pois é, encontrei exemplos de tanto “CONSCIOUSNESS” quanto “AWARENESS” sendo usadas em associação com o tema da consciência negra. Por exemplo, na África do Sul nos anos 60, o movimento liderado por Steve Biko, entre outros, foi chamado de “Black Consciousness Movement”. Há outros casos, como você afirma, em que “AWARENESS” é o termo usado. No comentário deixado pela Paulissima, podemos observar que a opção “PRIDE” é também válida.

    E viva a diversidade lingüística também! 😉

    Abraços a todos

  • paulissima

    Oi, Ulisses

    Legais a suas dicas, me bati um bocado ontem para escrever esse texto em inglês: http://www.globalvoicesonline.org/2007/11/18/brazil-black-pride-and-the-racism-debate/

    Aqui no Reino Unido se usa muito *Pride* em dias de celebração, então usei apenas Black Pride, para manter nice and short.

    Tudo de bom
    Paula

  • Carmela

    Prezado Ulisses,

    Após ter vivido alguns anos nos EUA,lembro e muito bem ouvir com muita frequencia a palavra “AWARENESS”. “Black Awareness Day” eu acho é a expressão mais usada. Por favor peço que me corrija se estiver enganada.
    Abraços,