Vocabulário: a diferença entre falar inglês e falar inglês bem.

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Adriana Pereira Santos

Vocabulário: a diferença entre falar inglês e falar inglês bem

vocabulárioSabe aquela emoção que toma conta de um pai ou mãe ao ver o seu filhinho começar a andar? Vou contar um segredo: nós, professores, morremos de orgulho quando vemos um aluno se superando! Quando ele traz vocabulário novo para a aula ou se arrisca a usar uma estrutura gramatical que acabou de aprender; quando ele inicia uma conversação por conta própria; quando ele traz relatos de que interagiu com um falante de inglês fora da escola… Nossa! Solto logo um That’s my boy! com um sorriso que vai de orelha a orelha!

Talvez os alunos não saibam mas, secretamente, construímos um dossiê sobre as andanças dos nossos aprendizes pelo mundo do inglês. Fico muito feliz em poder listar alguns feitos de ex-alunos (a maioria nunca havia estudado inglês antes):

  • aprovação em concursos e processos seletivos;
  • contratação por empresas multinacionais, tanto no Brasil como no exterior;
  • alunos que se tornaram professores de inglês (isso é como se eu fosse treinadora e meu atleta ganhasse medalha de ouro!);
  • viagens bem-sucedidas: estudo, turismo, trabalho;
  • alunos que decidem morar em outros países;
  • casamentos dentro e fora do Brasil! Um casal se formou durante o curso de inglês; outro aluno conheceu sua amada pela internet trocaram alianças na Suécia. Que romântico!

Observe que essas são consequências de pequenos esforços diários. O desenvolvimento acontece de forma gradativa. Ninguém consegue atingir nenhuma das conquistas acima da noite para o dia. Ou seja, não são apenas as grandes vitórias que nos emocionam. Cada pequena demonstração de esforço do aluno faz o professor vibrar! Afinal, entendemos que é assim que ele progride: passo a passo!

Como melhorar meu vocabulário?

Com frequência, amigos e alunos me perguntam o que deve ser feito para aperfeiçoar o inglês. Existem milhares de possibilidades, várias delas sugeridas aqui no Tecla SAP. Mas o que percebo é que muitas das atitudes e atividades são tão simples que passam despercebidas. Cada pequena ação conta! Por exemplo, configurar o seu celular para inglês (acredite ou não, você vai aprender palavras novas e se familiarizar com elas); ouvir músicas em inglês no carro (o fato de não se concentrar exclusivamente no que ouve torna a compreensão mais natural); fazer suas tarefas de casa (é nesse momento que você sistematiza e consolida o que foi estudado na escola); cada vez que aprender uma palavra, expressão ou estrutura gramatical, tentar usá-la logo em seguida; gravar e ouvir pequenos trechos da sua própria fala para identificar pontos onde você tem dificuldades. As alternativas são tantas… Mas não existe fórmula mágica que funcione igualmente para todos. Você deve testar e descobrir o que funciona melhor no seu caso.

CfTecla SAP no Google+

O objetivo deste post é falar sobre uma maneira muito simples de ampliar o seu conhecimento de inglês (e deixar o seu professor, seus pais e, claro, você mesmo, envaidecidos): variação! O simples fato de alternar entre palavras com o mesmo significado enriquece o seu vocabulário e melhora consideravelmente a sua compreensão e interpretação do inglês. Com o tempo, você perceberá que se torna mais fácil expressar exatamente o que você quer dizer e passará a inovar também nas estruturas. Ou seja, você vai variar não apenas o que diz, mas também como diz. Leia os dois parágrafos abaixo e perceba a diferença!

“The girl was very happy because it was a very small, but very beautiful flower. Then he said she looked very beautiful. It was a very big surprise. She wanted to cry to the world how much she loved him. Instead she began to cry.”

“The girl was delighted because it was a tiny, but lovely flower. Then he said she looked gorgeous. It was a huge surprise. She wanted to shout to the world how much she loved him. Instead she began to weep.”

vocabulárioUsando sinônimos para evitar repetições

Para dar o empurrãozinho inicial, veja aqui algumas alternativas. Claro que esta é apenas uma pequena amostra e existem milhares de outras opções de sinônimos possíveis. Crie o hábito de sempre reler aquilo que você escreve e, caso perceba que existem muitas repetições, tente variar o vocabulário – você encontrará ótimas possibilidades num dicionário. Eu fiz isso diversas vezes enquanto escrevia este texto! 🙂

  • angry = mad
  • ask = question = inquire
  • (very bad) = horrible = awful = terrible
  • beautiful = pretty = cute = lovely = attractive = fair
  • (very) beautiful = gorgeous
  • begin = start
  • believe = trust
  • (very) bad = awful = lousy = terrible
  • (very) big = huge = enormous = massive
  • collect = gather
  • cry = weep
  • cry = yell = scream = shout
  • dangerous = risky
  • different = diverse
  • difficult = hard
  • discover = find
  • end = finish
  • excellent = terrific = awesome = amazing = great = superb
  • expensive = dear
  • fall = drop
  • (very) funny = hilarious = (informal) hysterical
  • (very) good = splendid = outstanding = exceptional
  • happen = occur
  • happy = delighted = joyful
  • help = assist
  • idea = thought
  • love = adore
  • nice =  pleasant = enjoyable = lovely
  • old (person) = elderly = senior
  • old (thing) = ancient
  • old (valuable thing) = antique
  • quiet = still
  • respect = honor
  • rich = wealthy
  • right = proper
  • (very) sad = unhappy = blue = miserable
  • (very) small = tiny = miniature
  • smart = clever
  • speed = haste
  • story = tale
  • thin = slim = slender = lean
  • trip = journey
  • try = attempt
  • very = quite = fairly

Lembre-se de checar sempre o contexto no qual a palavra está sendo usada. Por exemplo, cry tanto pode ser “chorar” quanto “gritar”, assim como fair pode significar “justo” ou “belo”. Para começar a praticar, que tal pôr uma das palavras acima em uso hoje mesmo?
vocabulário

Cf. As palavras em inglês que você não precisa aprender
Cf. Autonomia não é só para autodidatas
Cf. O mico da professora de inglês que você deve evitar
Cf. Professores: como estimular a formação de alunos autônomos

Você tem algo a acrescentar sobre este assunto? Deixe o seu comentário ou sugestão nos comentários e recomende o texto para os seus colegas, alunos ou professor. Obrigada!