Mais uma entrevista no Jô

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Entrevista no Jô

Gravei nesta semana minha terceira entrevista no Programa do Jô, mas ela deverá ser exibida só no início de novembro. Prometo que publico novo post para avisar quando ela irá ao ar. Dessa vez, fui convidado para falar sobre o meu quarto livro, o “Aprenda inglês com humor – Micos que você não pode pagar“, lançado este ano pela Disal Editora. A obra reúne mais de 100 relatos de situações constrangedoras vividas por quem ainda não tem o domínio da língua inglesa. Cada história é acompanhada por explicação completa e sugestões para que outras pessoas não caiam em armadilhas parecidas.

Para quem não sabe, a primeira entrevista foi em 2003 para a divulgação do primeiro livro, “O inglês na marca do pênalti – A terminologia esportiva em inglês aplicada no dia-a-dia das pessoas e empresas“, lançado também pela Disal Editora naquele ano. Não tenho o vídeo dessa entrevista, apenas a foto ao lado.

A participação seguinte aconteceu em 2006 também por conta do lançamento de outros dois livros. A segunda entrevista pode ser vista neste vídeo abaixo. Clique neste link se a imagem não aparecer.

Na terceira entrevista, que foi ao ar em novembro de 2012, contei também alguns micos que acontecem na cabine de tradução simultânea porque sei que o Jô se interessa bastante pelo assunto. Espero que vocês gostem do resultado. Assista ao vídeo da minha terceira participação no programa.

Abraços a todos

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

11 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sueli
Sueli
8 anos atrás

Adorei a entrevista. Assim que terminou tentei entrar no seu site mas não consegui acessar de jeito algum, acho que “bombou” de tanta gente, pois deviam ser os conhecidos e os que não conheciam, ainda, seu site. Você mandou muito bem, ainda com a palinha do ator Marcelo Médici, fazendo uma homenagem a você contando a respeido de uma pessoa que tinha ido aos EUA e que sinalizou para o garçon em um restaurante, o tipo de carne que ela queria comer fazendo mímicas. Foi hilário. Você foi 1000!!!!
Parabéns! Sueli

ANACÉLIA
ANACÉLIA
8 anos atrás

[email protected] Ulisses,
Assisti à sua entrevista ontem e adorei.Muito bem humorada e interesante.
Como professora de Inglês – EFL utilizo muito suas dicas e repasso aos meus alunos pelo facebook.
Adoro seu trabalho 😉
Obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco.
PARABÉNS!!!!!!

Gabriel Callaghan Smith
Gabriel Callaghan Smith
9 anos atrás

Ulisses meu filho. Ta bonito na entrevista em rapaz! Ansiosíssimo para essa nova entrevista. E gostaria de pedir a voce o nome de uns dicionários ou guias, num me recordo bem. QUE tinha palavrões e expressões. Grato! 😀

Sabrina
Sabrina
9 anos atrás

Hi Ulysses,

Parabens!! Acompanheis sua entrevista no Jô em 2006 e eu admiro mto seu trabalho!!
Estou ansiosa para assistir a entrevista dessa semana!
Vou enviar o link para os meus alunos pois todos eles curtem o seu blog e é claro você… ele vao adorar ver sua entrevista no Jô.

Um grande abraço!!

E mais uma vez!!

Congratulations!!!

Ana Claudia Pereira Barbosa
Ana Claudia Pereira Barbosa
9 anos atrás

Olá! Eu estava presente na gravação no começo da semana. Adorei a entrevista. Gostei muito das histórias contadas ali. Tenho certeza que o pessoal também vai gostar. Parabéns pelo trabalho!

Adriano Japan
9 anos atrás

Parabéns Ulysses!
É a terceira vez que me pego assistindo a sua entrevista de 2006, muito engraçada e com muito conteúdo interessante.
Espero que nesta próxima entrevista o Jô tenha focado mais no inglês e menos em si próprio.
Um grande abraço!

IsaquGC
IsaquGC
9 anos atrás

Estimado Wehby. Que legal que concedeste mais uma entrevisa ao Jô. É sempre legal ouvir peripécias, etc., relativas a este mundo da interpretação…
Outro dia conversando com um intérprete de conferência ele disse: “Me confundi com um ‘I’m a gnostic’ e ‘I’m agnostic'”. Difícil essa, não? Ou um tax e text, pronunciados por um falante de inglês de Cidade do Cabo. Bem lega.
Abração!