Simultânea no Palácio dos Bandeirantes

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Esta semana, tive a oportunidade de mais uma vez fazer tradução simultânea no Palácio dos Bandeirantes, a sede do governo paulista. Foi uma solenidade que teve a duração de pouco mais de 30 minutos, no Salão de Despachos.

Eu estava um pouco apreensivo porque, diferentemente dos colegas que atuam em cidades como Brasília, Washington ou Bruxelas, os profissionais de São Paulo não trabalhamos com autoridades de governo com a mesma regularidade. Reuniões de negócio, congressos científicos, apresentações para empresários, treinamentos dos mais diversos tipos são, em geral, os eventos em que mais atuamos.

simultânea no palácio

Como era uma reunião com a presença do governador, de alguns secretários estaduais, de representantes de duas empresas privadas, além de vários jornalistas, recorri a duas modalidades de interpretação. Quando os convidados estrangeiros falavam em inglês, eu fazia a interpretação consecutiva, ou seja, aquela modalidade em que orador fala por alguns minutos enquanto o/a intérprete toma notas, interrompe seu discurso e aguarda a tradução para o outro idioma. O processo se repete várias vezes e é extremamente maçante para todos os presentes porque qualquer pronunciamento acaba levando o dobro do tempo. Esta é, no entanto, uma solução prática para eventos de curtíssima duração.

No sentido inverso, o que era dito em português ao microfone era traduzido para inglês na modalidade conhecida como “interpretação simultânea de cochicho”. Essa solução só foi possível porque eram apenas dois os convidados que não falavam o nosso idioma. Eu fiquei sentado em uma cadeira logo atrás dos dois cidadãos americanos e fazia a tradução simultânea para inglês falando bem baixinho.

Aliás, essa foi a solução que adotei também na tradução do Mister M. no programa da Eliana. No post “Simultânea ou Consecutiva“, você vê as fotos desse trabalho e fica sabendo de mais algumas diferenças entre as duas modalidades mais comuns de tradução. Em “Tradução Simultânea de Cochicho“, falo sobre o trabalho com o diretor de cinema James Cameron e com a atriz Sigourney Weaver em que esta outra modalidade é empregada.

Como já disse no post “Simultânea do show do Marco Luque“, o dia-a-dia do intérprete de conferência não é só glamour. Os outros trabalhos recentes que fiz foram uma auditoria contábil, dois congressos sobre educação, o acompanhamento de visita de executivos a um banco brasileiro, entre outros eventos sem muita pompa.

E por falar em glamour, faltou mencionar mais um trabalho que fiz há poucos dias para o programa Legendários da TV Record. Fiz a tradução de Stevie Starr, o Regurgitador. Need I say more? 😉

Cf. Discurso de Barack Obama no Rio de Janeiro
Cf. Tradução Simultânea do Samurai Hayashi no Legendários

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
julio
julio
9 anos atrás

Vlw Ulisses, mais uma ai einh…seu trabalho eh muito massa…deve ser bem complicada as vezes einh..mas merece todos os parabens..poste sempre ai os eventos de traduções.

Robson Ortlibas
9 anos atrás

puxa…imagino como foi a situação com o “regurgitador” kkkk
poderia fazer um post sobre isso hein?” rs

abs.