Aprender inglês com dicas é possível?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Aprender inglês com dicas é possível?

Para quem procura uma resposta, simples e direta: sim, é possível aprender inglês com dicas. Se você quiser saber um pouco mais sobre como estudar inglês online, é preciso um pouco mais de calma e paciência para ler o resto.

Quando me matriculei em uma escola de idiomas pela primeira vez, no início da década de 70, aprender inglês era um processo bem diferente. Embora ninguém questione essa afirmação tão óbvia, nem sempre nos damos conta do quanto as mudanças tecnológicas e, como consequência, as comportamentais vem alterando a maneira como lidamos com as informações em geral e, mais especificamente, com o aprendizado de uma língua estrangeira.

aprender inglês com dicas

É verdade também que a essência do processo de aprendizagem se mantém relativamente inalterada. No entanto, hoje, os mecanismos de acesso, a frequência com que se dão as interações e o volume de dados atingem patamares sem precedentes. Até aí não estou falando nada de novo, certo? Vamos então fazer algumas comparações práticas.

Cf. Os 10 erros mais comuns de quem estuda inglês

Faço, portanto, um convite a viajarmos no tempo para você relembrar ou, dependendo do número de seu RG, saber como era a semana de um aluno de inglês adolescente no longínquo ano de 1974. Nem precisa apertar o cinto de segurança porque, naquela época, ele ficava empoeirando no banco de trás, preso por um elástico, pois seu uso não era obrigatório. Vamos lá?

Aprender inglês na década de 70

Duas vezes por semana, eu gastava cerca de meia hora no ônibus para assistir uma aula de 75 minutos. Mais 30 minutos na volta, vezes duas aulas por semana, em suma, eu gastava 2 horas no trânsito para estudar 2 horas e meia. Fora da sala de aula, as atividades com inglês se resumiam à lição de casa, à leitura de readers (livros em inglês com vocabulário simplificado), algumas poucas revistas importadas, as letras de música no encarte do LP e praticamente mais nada. Isso tudo, é lógico, só para quem era aluno muito aplicado.

É bom lembrar que o Google da época era um mini-dicionário da Collins, de capa verde, ferramenta obrigatória de todos os alunos de inglês daquela época. Se você ainda não estiver com pena do tiozinho que escreve este texto, aguarde porque ainda tem mais…

Cf. Qual é o melhor dicionário online de inglês?

Só para constar, não existiam computadores pessoais, Internet, TV a cabo, DVD, celular, tablets, notebooks etc. Eram cinco ou seis canais de TV aberta e mais nada! Filmes legendados, só no cinema!

O método que a escola onde estudei usava era recheado de repetition drills, frases repetidas à exaustão com pequenas variações para que as estruturas fossem memorizadas “na marra”. Os assuntos eram apresentados em sequência gramatical progressiva, que, como toda sinceridade, só faz sentido na cabeça do gramático. Imagine como é difícil ter de esperar seis meses para poder falar do passado. Planos para o futuro? Sinto muito, só no livro 4! Por enquanto, siga repetindo The house surrounded by the gray wall is mine. The house surrounded by the white wall is mine. The house surrounded by the blue wall is his. The house surrounded… PQP!

aprender inglês com dicas

Hoje sabemos que o aprendizado se dá de maneira caótica e não segue uma estrutura lógica, progressiva e ordenada, como se imaginava. Muitas das teorias reinantes hoje não existiam ou ainda não eram difundidas. Communicative approach, lexical approach, entre outras, só se materializaram mais tarde.

Não se trata de comparar o melhor e o pior de duas épocas distintas, pois, é claro, em qualquer período há coisas boas e ruins. O intuito não é demonstrar saudosismo exagerado nem negar a importância daquele período em que fui adolescente. O objetivo é apenas comparar duas situações distintas para chegarmos a algumas conclusões.

Aprender inglês no século XXI

Algumas semanas atrás, eu estava esperando o elevador no saguão de um edifício comercial. Eu estava saindo de uma reunião e aproveitei aqueles poucos segundos para ler uns dois ou três e-mails. Observei que havia outras duas pessoas também debruçadas em seus smartphones. Cena corriqueira que passa despercebida para muita gente.

Cf. 10 dicas infalíveis para aprender inglês

O que me chamou a atenção naquele momento foi o fato de que, ao estarmos constantemente expostos ao bombardeio de informações, podemos ampliar o grau de exposição ao idioma. Além dos diversos blogs que, como o Tecla SAP, oferecem conteúdo rico e variado com dicas de vocabulário, pronúncia, gramática, entre muitos outros temas, há inúmeras outras fontes de referência à disposição de quem tem acesso à internet. Existe conteúdo em inglês especializado em praticamente qualquer área do conhecimento, letras de música, games, cinema, literatura, esportes, tecnologia etc. Importante ressaltar que esse conteúdo está disponível não só em texto, pois há os podcasts e os vídeos do YouTube, entre outros. Áudio-visual na minha época era fita cassete e desenho no livro!

Conclusões

Aprendemos colecionando unidades de informação que são passadas pelos professores em sala de aula, por exercícios em livro de atividades, na leitura de um texto, em cena de filme ou em trecho de uma canção famosa. Não creio que seria absurdo chamarmos esses blocos de informação de dicas. Portanto, não há tantas mudanças no processo. A meu ver, o que mudou nas últimas décadas foi a frequência, o volume de informações, as formas de entrega de conteúdo e a variedade de canais de acesso.

Cf. Séries: como aprender inglês com as séries de TV

A física não nos permite criar mais tempo. Continuam sendo as mesmas 168 horas semanais de que todos dispomos. Para percorrer o mesmo trajeto hoje, um adolescente vai levar mais do que as duas horas que eu gastava dentro do ônibus mas, certamente, todo o seu tempo pode ser mais bem aproveitado. Muito mais! Em suma, é possível, sim, aprender inglês com dicas desde que seja um processo regular e, acima de tudo, prazeroso.

Cf. Leitura: abrir o dicionário ou deduzir pelo contexto?

Cf. O mico da professora de inglês que você deve evitar

Cf. Quanto tempo vou levar para ser fluente em inglês?

Speak up! We’re listening…

Como está sendo a sua experiência com o estudo de inglês? Você acha possível aprender inglês com dicas? Nós do Tecla SAP gostaríamos muito de ouvir a sua história. Ela pode servir de exemplo para outras pessoas. Expresse sua opinião abaixo, na seção de comentários. Obrigado.

Referência: Top 100 – As cem melhores dicas do Tecla SAP de Ulisses Wehby de Carvalho, ©Tecla SAP, 2014.