Leitura: abrir o dicionário ou deduzir pelo contexto?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Leitura: abrir o dicionário ou deduzir pelo contexto?

A dica de hoje esclarece uma dúvida sobre leitura que parece incomodar muitos alunos de inglês. O que é melhor: parar e abrir o dicionário ou tentar deduzir pelo contexto? Ela foi postada no Fórum Tecla SAP há alguns dias. Aliás, eu até tinha me esquecido de que um dos benefícios de se manter um fórum para o esclarecimento de dúvidas de inglês era justamente a grande quantidade de perguntas que suscitam debates interessantes. A dúvida de uma pessoa costuma ser também a de mais gente.

leitura

Como de hábito, não há uma resposta definitiva para a pergunta do título do post que se aplique a todas as pessoas e a todas as ocasiões. As razões são óbvias: ninguém lê sempre o mesmo tipo de texto e com a mesma finalidade. Sem contar, nunca é demais repetir, que nem todo mundo tem o mesmo nível de proficiência. Essas parecem ser afirmações óbvias demais e até desnecessárias, mas, por mais incrível que pareça, nem sempre são levadas em conta.

Se você já torceu o nariz ao desconfiar que vai levar um “depende” como resposta, recomendo a leitura de “Por que é tão difícil aceitar “Depende.” como resposta?“. Sinto muito, mas é assim mesmo.

Eu gostaria, em primeiro lugar, de apresentar três aspectos sobre a leitura que são relevantes para nossa análise. Não se trata, em absoluto, de definições rígidas e isoladas. Em determinados momentos, as três podem até se confundir. Os sinais de mais e de menos, usados nas imagens a seguir, indicam mais ou menos consultas ao dicionário. Embora eu tenha usado sinais matemáticos para ilustrar o conceito, não há respostas exatas para todas as situações.

Propósito

Quando começamos a leitura de um texto, existe, invariavelmente, uma ou mais finalidades, sejam elas conscientes ou não. Em geral, nos casos em que o objetivo é complementar nossos estudos ou absorver novas informações sobre nosso trabalho, a recomendação é abrir o dicionário com mais frequência. Se, por outro lado, a meta é quase que exclusivamente o entretenimento, dê preferência à leitura mais fluida e procure deduzir o significado de palavras e expressões pelo contexto. Recorra ao dicionário, é claro, caso a mesma palavra apareça no texto com frequência e/ou seja imprescindível para a compreensão de um parágrafo inteiro ou de uma passagem importante.

leitura

Vale ressaltar que a leitura de um texto acadêmico, como um artigo científico sobre aerodinâmica, pode muito bem ser uma leitura para as horas de lazer para algumas pessoas, assim como um romance ficcional que se passa na Inglaterra do século XIX pode ser trabalho para, por exemplo, um aluno do curso de Literatura. Não há, portanto, respostas padrão.

A leitura dos readers, aqueles livros com vocabulário simplificado, são uma prática salutar. Se precisar de alguma sugestão, confira este post: “Resenhas de Livros: Helbling Readers“.

Característica

Novamente, aquilo que é técnico e específico para alguns pode muito bem ser muito genérico para outros. Adapte as recomendações dos gráficos ao seu caso particular, é claro. É importante também salientar que, não raro, o mesmo texto pode oscilar entre os dois extremos, ou seja, em algumas passagens pode descrever algum objeto ou processo em seus mínimos detalhes para, em seguida, tratar de outra questão com um olhar mais abrangente.

leitura

 

Proficiência

O nível de proficiência também é mais uma dimensão fluida e, muitas vezes, subjetiva. O seu grau de familiaridade com a língua inglesa, sua estrutura e seu léxico, também é fator importante para saber se você deve consultar o dicionário mais ou menos vezes. É lógico que fica bem mais fácil deduzir o significado de uma palavra quando se conhece o que as outras na mesma frase querem dizer. Se, por outro lado, dos 12 termos de uma oração qualquer, você só conhecer três, a dedução fica quase impossível.

leitura

 

Abrir o dicionário: prós e contras

São óbvias as vantagens de se abrir o dicionário. Acho que nem preciso dizer que você esclarece as dúvidas, conhece novas acepções do mesmo termo, além, é claro, de acrescentar uma palavra nova ao seu vocabulário.

As desvantagens, no entanto, são menos aparentes. Ao interromper a leitura, se perde um pouco do ritmo e da sequência da trama do texto, em especial se as interrupções forem frequentes e/ou muito demoradas. No caso da leitura de um livro, por exemplo, essas pausas podem desestimular o leitor porque acabam tornando o processo muito mais demorado. É mais provável que haja desconexão entre os diferentes capítulos pelo fato de ficarem muito distantes uns dos outros.

Além disso, o uso excessivo do dicionário em toda e qualquer situação pode gerar dependência, que, por sua vez, abala a confiança do aluno e prejudica sua capacidade de inferir. Não há como conceber o estudo de um idioma estrangeiro sem que tenhamos uma boa capacidade de dedução. São duas as razões principais: 1) não é sempre que temos acesso ao dicionário e 2) não há tempo hábil para a consulta quando ouvimos um texto oral. Saber deduzir é, portanto, fundamental!

Deduzir pelo contexto: vantagens e desvantagens

Ao deduzirmos o significado de uma palavra a partir do contexto, corremos o risco de não interpretá-la corretamente e, por essa razão, prejudicarmos a compreensão de algum trecho da história. Além disso, também perdemos a oportunidade de conhecer nuances semânticas que só uma consulta criteriosa ao dicionário pode proporcionar.

Por outro lado, ao imprimirmos um ritmo mais veloz à leitura, temos a oportunidade de rever uma quantidade bem maior de palavras e expressões que já conhecemos. Muitas delas, em especial as que não são de uso corrente, seriam provavelmente esquecidas em breve. Em suma, mais do que adquirir vocabulário novo, a leitura mais dinâmica nos dá a chance de não perder o que já faz parte do nosso acervo lexical. Não se esqueça de incluir no cálculo as palavras que você deduz corretamente, é claro!

Conclusão

Procure fazer uso dessas três dimensões da próxima vez que for ler um artigo de jornal, um livro ou um relatório. Só você terá condições de saber em que grau aplicará cada uma delas e quantas vezes deverá interromper a leitura para consultar o dicionário. Assim, tenho certeza de que terá mais condições de otimizar seu tempo e tirar maior proveito da leitura. Se precisar de dicas de dicionário, recomendo os seguintes textos:

Espero que você tenha gostado das dicas. Ficou faltando alguma coisa importante? Por favor, envie sua contribuição na seção de comentários, no rodapé da página. Críticas e sugestões são sempre bem-vindas. Obrigado!

Se tiver alguma dúvida de inglês sobre esse ou qualquer outro assunto, o espaço para você encaminhar sua pergunta é o Fórum Tecla SAP. Venha participar dessa cada vez mais atuante comunidade. São professores e alunos de inglês de todos os níveis que estão sempre dispostos a ajudar quem precisa. Participe, acumule pontos e ganhe brindes exclusivos. É grátis!

Cf. Ortografia: Tatuagem

Cf. Autonomia não é só para autodidatas

Cf. Vocabulário: a diferença entre falar inglês e falar inglês bem.