Emily Dickinson: Surgeons must be very careful…

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Emily Dickinson

Surgeons must be very careful
When they take the knife!
bisturi
Underneath their fine incisions
Stirs the Culprit – Life!

Tem cuidado, cirurgião
Ao tomar o bisturi!
Sob a tua fina incisão
Se agita a Culpada – a Vida!

Cf. Emily Dickinson: My River runs to thee

Comentários de Tradução

Uma pequena quadra com um insight fulminante, uma imagem vivíssima que salta da página, totalmente inesperada. Veja uma tradução alternativa nas Versões Livres, abaixo.

O imperativo “Tem cuidado, cirurgião”, dirigindo-se diretamente a um cirurgião, no singular, inicia o poema de forma mais vigorosa e envolvente para o leitor do que uma tradução literal como “Os cirurgiões devem ter cuidado…”

Versão livre

Tem cuidado, cirurgião
Ao tomar o bisturi!
Sob a tua fina incisão
– Sutilíssima ferida –
Se a agita a Culpada – a Vida!

Um pouco de audácia, ou Traição criativa

Sentindo falta de uma rima para o final “Vida”, que fosse forte e interessante como a rima knife-life, pensei em incluir este verso extra: – Sutilíssima ferida –.

Liberdade que resultou, sem dúvida, em um poema mais belo em português e com muito mais impacto do que a tradução fiel de quatro versos, onde não consegui rimar.

Lembrando o famoso aforismo: “Les traductions sont comme les femmes: quand elles sont fidèles, elles ne sont pas belles, et quand elles sont belles, elles ne sont pas fidèles”. Máxima que nem sempre se aplica; mas, neste caso, é o que acontece.

Será que Emily iria gostar? Creio que sim.

CfTextos Mastigados
Cf. A importância do contexto
Cf. Tradução Simultânea, Oscar e Porta dos Fundos

Referência: “Loucas Noites / Wild Nights – 55 Poemas de Emily Dickinson“, Tradução e Comentários de Isa Mara Lando, Disal Editora, 2010. Leia a resenha.