Resenhas de Livros: Inglês é 10!

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Inglês é 10!
Lilian Itzicovitch Leventhal
Disal Editora, 2006, 124 páginas

ingles_e_10.jpgFruto da experiência de uma educadora e da colaboração de três professoras, este guia prático é bem oportuno, pois há, no Brasil, um interesse crescente pelo ensino da língua inglesa na Pré-Escola, principalmente sob a forma de Educação Bilíngüe. A partir de um título bem positivo – Inglês é 10! – a autora usa “você” na conversa com colegas que partilham a agradável e desafiadora missão de ajudar crianças de 2 a 6 anos a iniciarem seu crescimento em uma segunda língua. Os 10 capítulos têm título e subtítulo. Nos títulos (de 9 capítulos), Leventhal recorre a metáforas centradas em “árvore”: Sementinhas de idéias, expandindo as raízes, fortalecendo a base, formando a copa, deixando a copa crescer, dando flores, colhendo frutos, dando frutos, saboreando frutos. No capítulo final, são apresentadas 20 dicas para aplicação “na sua vida” e “em sala de aula”. Os subtítulos propiciam a informatividade esperada por quem lê o Sumário: Introdução; Planejamento e objetivos; Fases infantis; Aprendizagem significativa; Atividades: warmers; Práticas: jogos em sala, em ambientes externos, artes; Produções; Songs, nursery rhymes e chants; Cooking classes. Seguem-se um Glossário (13 verbetes) e uma Bibliografia (25 publicações, das quais 18 em português, 7 em inglês;) e 10 links (9 em inglês e 1 em português). A destacar, no capítulo sobre as Fases infantis, as sínteses sobre características físicas, emocionais, sociais, lingüísticas e intelectuais de crianças de 2 a 6 anos e as respectivas sugestões psicopedagógicas (Como incentivar seu aluno ….). Ali, encontram-se alguns dos verbos que integram a fraseologia pedagógica positiva: Ajude, desafie, elogie, encoraje, incentive, motive, promova, respeite, seja compreensiva e paciente. Em suma, a autora, as colaboradoras e a editora merecem nosso aplauso. Que outras experiências brasileiras também se traduzam em livros escritos por quem partilhem da convicção de que tanto professores quanto alunos são criaturas comunicativas criativas que muito têm a aprender, uns/umas com os/as outros/as.

Autor da resenha
Francisco Gomes de Matos, autor de “Criatividade no Ensino de Inglês” (Disal Editora, 2004) e Co-fundador e Presidente, Associação Brasil América, Recife. E-mail: [email protected]

Compre na Disal.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments