SERENDIPITY: qual é o significado, a pronúncia e a tradução da palavra?

Tempo de leitura: 2 minutos

Serendipity by Thaís Bueno

SERENDIPITY

serendipity

SERENDIPITY

Serendipity, essa palavra um tanto longa, significa “encontrar algo que se desejava, inesperadamente”. Ela foi criada pelo escritor Horace Walpole em 1754 (e é muitas vezes traduzida como “serendipidade”). Para dizer serendipity sem medo de errar, você só precisa lembrar: a sílaba “DI” é a mais forte, como se você falasse “se-ren-DÍ-pi-ty” (/sɛr(ə)nˈdɪpɪti/).

  • Serendipity is a historian’s best friend and the biggest part of the rush that is the daily magic of discovery. (The NY Times)
  • A serendipidade é a melhor amiga do historiador, e constitui a maior parte do ímpeto que é  a mágica diária da descoberta.

A pronúncia de serendipity no Macmillan Dictionary

Clique para ouvir a pronúncia americana e a pronúncia britânica de serendipity, ambas segundo o Macmillan Dictionary. Para ouvir nativos pronunciando a palavra, vá ao site YouGlish, digite serendipity e espere a ferramenta fazer uma busca em vídeos do YouTube. Você tem a opção de escolher três pronúncias diferentes: americana, britânica e australiana. Bons estudos!


HEAR x LISTEN

Assista ao vídeo “HEAR x LISTEN: a diferença entre os dois verbos e muito mais…” e esclareça essa dúvida de uma vez por todas! Você vai conhecer diversas expressões idiomáticas acompanhadas de exemplos reais extraídos de trechos de vídeos do YouTube.

Clique aqui e confirme para se inscrever gratuitamente no canal do Tecla SAP no YouTube. Amplie seu vocabulário de inglês e seus conhecimentos gerais. Bons estudos!


Cf. Como se diz “abusar da sorte” em inglês?

Cf. Inglês para empreendedores: vocabulário completo

Cf. CHANCE: qual é o significado e a tradução de “CHANCE”?

Speak up! We’re listening…

Você gostou das dicas sobre serendipity? O conteúdo contribuiu para você enriquecer seu vocabulário de inglês e ampliar seus conhecimentos gerais? Não deixe de expressar sua opinião na seção de comentários, por favor. Sua participação é fundamental! Muito obrigado.

YouTube, Facebook, Twitter, Instagram etc.

Vamos continuar essa conversa nas redes sociais? São várias as opções para você não deixar seu inglês enferrujar:

Você já deve ter ouvido um milhão de vezes que é muito importante manter contato constante com a língua inglesa. Então não perca essa oportunidade! É grátis! A conversa não precisa ser sobre serendipity, é claro. É só me adicionar em uma das redes sociais acima e acompanhar as dicas para deixar seu inglês afiadíssimo. A gente se fala em breve…

A autora

Thaís Bueno, tradutora, tem graduação em Letras e mestrado pela Unicamp e é colaboradora do Tecla SAP.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

3 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Dativo Marques
Dativo Marques
8 anos atrás

Thaís, essa palavra sempre me impressionou desde a primeira vez que a li no conto Zadig, do imortal Voltaire. Ele falou sobre:
The Three Princes of Serendip is the English version of the Peregrinaggio di tre giovani figliuoli del re di Serendippo published by Michele Tramezzino in Venice in 1557. Tramezzino claimed to have heard the story from one Christophero Armeno who had translated the Persian fairy tale into Italian adapting Book One of Amir Khusrau’s Hasht Bihisht[1] of 1302. The story first came to English via a French translation, and now exists in several out-of-print translations.[2] Serendip is the Persian and Urdu name for Sri Lanka, which was adopted from Tamil “Seren deevu” or originally from Sanskrit Suvarnadweepa or golden island. In contrast, some trace the etymology to Simhaladvipa which literally translates to “Dwelling-Place-of-Lions Island”
The story has become known in the English speaking world as the source of the word serendipity, coined by Horace Walpole because of his recollection of the part of the “silly fairy tale” where the three princes by “accidents and sagacity” discern the nature of a lost camel.[3] In a separate line of descent, the story was used by Voltaire in his 1747 Zadig, and through this contributed to both the evolution of detective fiction and also to the self-understanding of scientific method.

CptGuapo
CptGuapo
8 anos atrás
Reply to  Dativo Marques

Nossa! Muito interessante mesmo. Valeu pelo adendo, Dativo.