Troca a placa! Dia das Bruxas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Tenho certeza de que quem estava acostumado à grafia football deve ter estranhado quando viu, pela primeira vez, a palavra escrita assim: “futebol”. O mesmo se aplica a “suéter” (sweater), “nocaute” (knockout), “refil” (refill), “sanduíche” (sandwich), entre muitas outras. Esses são exemplos de decalques da língua inglesa que acabaram, ao longo do século XX, sendo incorporados ao vocabulário da língua portuguesa depois de passarem por um processo de adaptação. A geração que chegou depois de essas palavras aportuguesadas já estarem consolidadas acha tudo bastante normal. Você não concorda? Participe escrevendo um comentário abaixo.

Será que algum dia acharemos normais as grafias “Tapoé” e “Ralô-in”? Ou será que simplesmente iremos levar um hambúrguer (o original é hamburger, sem acento nem “u” depois do “g”!) na vasilha plástica para a festa de comemoração do Dia das Bruxas? Não sei qual será a resposta, mas não podemos tratar essas “nacionalizações” com descaso, pois, afinal de contas, a lista de termos que passaram por processo semelhante é enorme.

Já que o assunto é Halloween, seguem alguns links úteis para você se familiarizar com o assunto. O post “Halloween” traz sugestões de atividades com as crianças; em “Falsos Cognatos: COSTUME“, você aprende a não cair em uma armadilha bastante comum dessa época do ano e, em “Expressões Idiomáticas: TRICK OR TREAT“, você fica sabendo como traduzir  a expressão mais falada no dia 31 de outubro.

Cf. 10 motivos para você aprender inglês no Facebook

Quem me enviou a imagem deste post foi a leitora do blog Rebeca Costa Curta. Obrigado! Para ver todas as 35 fotos da campanha, clique na tag “Troca a placa!“. Se você gostou das dicas, compartilhe as informações com os amigos. Obrigado!