Vídeo: Simultânea ou consecutiva?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Vídeo: Simultânea ou consecutiva

Já tratei das diferenças entre tradução simultânea e tradução consecutiva em vários textos publicados aqui no Tecla SAP. Dentre eles, “Simultânea ou Consecutiva?” e “Uma das armadilhas da consecutiva” são os mais específicos para abordar as vantagens e desvantagens que cada modalidade oferece. Hoje, trago artilharia pesada para esclarecer a questão. O poder do vídeo para ilustrar e ensinar é inigualável… Mais sobre o assunto no último parágrafo.

simultânea ou consecutiva

Antes, no entanto, vale destacar que, dentro da simultânea, existem também muitas dúvidas sobre uso do equipamento fixo x equipamento portátil. A questão é tratada em “Tradução Simultânea: O equipamento portátil“.

É claro, no entanto, que esses temas são estranhos às pessoas encarregadas de organizar um evento. Como são tantos detalhes que ocupam a cabeça e o tempo do(s) organizador(es), escolher a modalidade de interpretação acaba ficando para segundo ou terceiro plano. Por essa, entre várias outras razões, a escolha da modalidade e a montagem da equipe de intérpretes devem – ou deveriam ser – prerrogativas do intérprete coordenador. Ele é, sem dúvida, a pessoa mais bem preparada para dar as orientações necessárias ao cliente e oferecer a solução mais adequada para cada caso.

Isto posto, o vídeo abaixo, dos Professores do MIIS (Monterey Institute of International Studies) Laura Burian e Barry Olsen é espetacular, a meu ver, por várias razões. O conteúdo é excelente para demonstrar as diferenças entre simultânea e consecutiva, reforçar a noção de que o domínio de dois idiomas é apenas pré-requisito para alguém se tornar tradutor ou intérprete, explica as diferenças entre o trabalho do tradutor e o do intérprete (não são a mesma coisa!), além de maravilhosas demonstrações práticas das duas modalidades em três idiomas diferentes. Os alunos que fazem as demos são Miguel Garcia (consecutiva), Beatriz Rodrigues (simultânea) e Weihao Zhang (simultânea).

Assista ao vídeo e depois me diga o que você achou. Espero que você goste também. Eu adorei!

Cf. Como ser tradutor e intérprete?
Cf. Tradução Simultânea de Cochicho
Cf. Tradução Simultânea, Oscar e Porta dos Fundos
Cf. Tradução simultânea, obesidade infantil e o beija-flor

Aproveito para agradecer aos professores do Curso de Letras da UNIMEP e aos alunos que assistiram à palestra de ontem em Piracicaba. O carinho com que me receberam foi espetacular. Espero, de verdade, voltar mais vezes. Foi demais! Abraços a todos e até breve!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

8 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] vídeo demonstração publicado no post “Vídeo: Simultânea ou consecutiva?“, você viu que uma professora fala chinês, mas é um aluno quem faz a tradução […]

Ulisses Wehby de Carvalho

Yanka, tudo bem?

Obrigado pelo comentário. O vídeo é mesmo emocionante não só pelo reconhecimento do enorme esforço intelectual dos intérpretes, mas também pela satisfação que sentimos por sermos a ponte que permite duas ou mais pessoas se entenderem.

Seja bem-vinda à profissão. Que o trecho da canção “Ain’t no mountain high enough” sirva de inspiração: “Ain’t no river wide enough”… 😉

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho

Patrícia, como vai?

Também tive a mesma sensação. Podia ter mais…

Confesso que fiquei até emocionado porque já estive nesse auditório várias vezes, como aluno em 1998 e como professor em 2013. Monterey só me traz lembranças muito boas…

Abraços

Silvio Lima
Silvio Lima
5 anos atrás

Video fascinante, incrivel como o intérprete ou tradutor tem de ser uma pessoa multi-tarefa, de cultura geral ampla e de percepção apurada para discernir a comunicação em diversos aspectos. A primeira vez que vi uma pessoa interpretando foi numa pregação com um pastor americano, eu era criança mas desde aquele dia fiquei fascinado com aquela habilidade, quem me dera ter esse talento!

Ulisses Wehby de Carvalho
Reply to  Silvio Lima

Sílvio, como vai?

Muito obrigado pelo comentário simpático. Agradeço os elogios em nome de todos os colegas.

Abraços

Ana Gauz
Ana Gauz
5 anos atrás

Maravilhoso! Só vem confirmar o que penso da interpretação: um dos trabalhos que mais exigem talento, conhecimento – ao mesmo tempo amplo e profundo – e MUITA concentração. Acho impressionante. Kudos to you, Ulisses!

Ulisses Wehby de Carvalho
Reply to  Ana Gauz

Ana, tudo bem?

Obrigado pelo feedback gentil. Agradeço os elogios em nome de toda a classe, é claro! Volte sempre!

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho

Anita, como vai?

Muito obrigado pela gentileza de comentar. Volte mais vezes.

Eu já acho os trabalhos do dentista, do pedreiro, do arquiteto etc. bem mais difíceis… 😉

Abraços