• Nancy, como vai?

    Muito obrigado pela gentileza de comentar. Volte sempre!

    Abraços

  • Luigi, tudo bem?

    Obrigado pelo interesse no Tecla SAP. O problema está justamente na busca da “correta tradução”. Quem parte com esse objetivo invariavelmente quebra a cara porque não existe “tradução correta”, em especial quando falamos de letra de música. É importante lembrar que não devemos esperar que haja nos textos literários a mesma lógica cartesiana indispensável nos textos científicos.

    Você mesmo já mata a charada quando afirma que “qualquer das versões parece se encaixar” e “podem ter até interpretações opostas”. A ambiguidade é muitas vezes usada como recurso estilístico intencional.

    Abraços

  • Pingback: ()