• Pingback: ()

  • Rosangela, tudo bem?

    Muito obrigado pela contribuição. Volte mais vezes!

    Abraços

  • Leonardo, tudo bem?

    Muito obrigado pela contribuição. Volte sempre!

    Abraços

  • Pingback: ()

  • Yan, tudo bem?

    Obrigado pela gentileza de comentar. Volte mais vezes!

    Abraços

  • Luiz Fernando

    Posso viver em paz agora kkkkk finalmente vou ter resposta para quando alguém falar disso. Thank you 😀

    • Luiz Fernando, como vai?

      Muito obrigado pelo comentário bem-humorado. Volte mais vezes.

      Abraços

  • Leonardo Alvares

    O pior de tudo é eles pegarem títulos de filmes há muito tempo existentes e transferirem exatamente esses mesmos títulos para filmes atuais que não têm absolutamente nada a ver com a estória e nem com o tema dos filmes já existentes. Exemplos: o filme que rendeu a Kevin Spacey o seu primeiro Oscar, chama-se Os Suspeitos, de 1995. Que diabo de Os Suspeitos é esse filme recente? Outro exemplo: filme estrelado por Robert De Niro e Al Pacino, todos sabem que esse é o filme chamado “Fogo contra Fogo”, que também é de 1995. Que filmezinho é esse outro aí chamado Fogo contra Fogo? Tem inúmeros exemplos, mas vou citar só mais um, que é bem atual: Ora, gente! Todo mundo sabe qual é o nome do filme sobre a guerra do Vietnã, de 1978, estrelado por Robert De Niro e que venceu cinco Oscars incluindo filme e diretor. Esse filme (esse sim) é O Franco Atirador, e não esse outrozinho aí do Sean Penn. Que dizer, são coisas assim que não dá pra entender.

  • legal saber disso.

  • Thiago Joazeiro

    Olá
    Eu já tive muitos problemas na locadora de dvd onde trabalhava por causa disso.
    Existe um filme cujo o título em inglês é “Wrong Turn”, lançado no Brasil como “Pânico na Floresta”. A mesma produtora que lançou o primeiro filme, mas que não ganhou a concorrência para lançar a continuação “Wrong Turn 2”, muito esperta lançou no Brasil o filme “Timber Falls” como “Pânico na Floresta 2”, que não tem nada a ver com o 1, mas claro, conseguiu muito dinheiro pois as pessoas acreditaram que essa seria a continuação, quando na verdade a continuação ganhou o nome no Brasil de “Floresta do Mal”, já que o Pânico na Floresta 2 já tinha sido registrado. Enfim, as pessoas iam até a locadora querendo esse bendito filme “Pânico na Floresta 2”, que por não ser bom, tinhamos comprado apenas uma cópia, enquanto tinhamos várias cópias do “Floresta do Mal”. Só que as pessoas não acreditavam no que falávamos, talvez por um bloqueio mental, pois tinham que seguir a lógica e assistir ao 2 rsrsrs . Conclusão, “Floresta do Mal” foi um fiasco.

    • Ulisses Wehby de Carvalho

      Thiago, tudo bem?

      Obrigado pelo relato interessante. Essa é mais uma dificuldade gerada por essas adaptações. Confesso que nem imaginava que poderia acontecer esse problema. Volte mais vezes.

      Abraços

    • Camila

      Interessante.

  • Olá Ulisses,
    Apesar de antigo, este post continua vivo e gerando vários comentários.

    Isso porque, imagino eu, este assunto de adaptação do título de filmes para o português incomode muita gente. Inclusive eu…rsrs

    Pra tentar ajudar um pouco mais o entendimento de o porque os filmes no Brasil recebem nomes tão esquisitos e, muitas vezes, nada a ver com o original, gostaria de indicar uma entrevista que fiz em meu site com o escritor Iuri Abreu. Ele é autor do livro

    Perdidos na Tradução. Este livro trata de maneira muito bem humorada como as adaptações brasileiras foram batizadas. Pra ficar mais engraçado ainda, ele compara, título a título, como seria a tradução literal do título em inglês e inclui como o filme em questão foi batizado em Portugal.

    Registramos a conversa em forma de podcast, que está disponível em meu site.

    Colocarei o link abaixo, mas caso veja algum problema nisso, entenderei se não puder divulgar.

    Link: http://http://mundobla.com.br/cbcast20-perdidos-na-traducao-com-iuri-abreu/

    Um abraço e espero ter contribuido.

    • Link correto: mundobla.com.br/cbcast20-perdidos-na-traducao-com-iuri-abreu/

  • Cynara

    Olá Ulisses,

    Eu, por ser da área, já sabia que era responsa das distribuidoras e isso nunca me incomodou realmente, até porque “À espera de um milagre” é bem melhor e relevante que “A milha verde”, porém há pouco tenho percebido que alguns filmes estão com os títulos muito ruins, mal escolhidos mesmo. É o caso do recente “Pacific Rim” que foi traduzido nada mais e nada menos que “Círculo de Fogo” que, inclusive, já é o título de um outro belíssimo filme.
    Gostaria apenas que tivessem mais carinho nesse processo, pois percebo que é algo que tendem a colocar no modo random’

    Abs,

    • Cynara, tem uma explicação para a escolha de Círculo de Fogo para o original Pacific Rim, e o mais legal é que tem a ver com o roteiro do filme.

      Sem querer dar spoilers, os Kaiju (monstros gigantes que atacam a Terra) saem de uma fenda localizada no Oceano Pacífico. Na vida real esta fenda existe. É uma falha em forma de ferradura que possui mais de 40.000 km de extensão e fica localizada ao norte do Oceano Pacífico. Nessa região ficam localizados cerca de 452 vulcões, isso é 75% de todos os vulcões ativos na Terra. A região é também conhecida como Anel de Fogo (Ring of Fire).

      Então, se fossemos traduzir ao pé da letra, Pacific Rim seria algo como “Arco do Pacífico”.

      Com isso, no meu modo de ver, desta vez os distribuidores gastaram um tempo a mais para estudar o enredo do filme e foram felizes na escolha do título em português.

      Um abraço e espero ter contribuído.

    • Fernando

      Eu concordo que vários filmes tem uma tradução bem estranha. Eu também acho que vem da necessidade que eu vejo que muito brasileiro tem de que o títulos já deem uma ideia do que o filme se trata. Mas se isso ajudar a entender o porquê de Círculo de fogo. Círculo de fogo é o nome da área do oceano pacífico entre o continente asiático e americano, onde acontecem os eventos do filme, que leva o nome de Pacific Rim em inglês.

  • Alex

    Caindo para o campo da teratologia, e o filme Daunbailó?

  • Mas tem alguns títulos que traduzidos fielmente ficam MUITO estranhos também. Já pensou o seriado Smallville traduzido para Pequenópolis? Iria ficar parecendo uma estória infantil. 🙂

    A tradução de Supernatural para Sobrenatural eu acho estranha pacas também.

    Abraços!

    • Alex

      O pior é que Pequenópolis me parece perfeitamente natural. Influências das antigas HQs e do tempo que não entendia chongas de Inglês…

  • Nestor Albuquerque

    Títulos dos filmes e séries são as piores traduções que essas produções têm no Brasil – 90% deles, se não mais, são “nada a ver” … e porquê?…

    Sem falar nas legendas, que ‘pulam’ palavras (às vezes importantes) ou traduzem algumas frases, expressões ou palavras incorretamente.

    Anseio pelo dia em que no cinema poder-se-á escolher usar um equipamento de áudio (sem fio, pls) que me deixe ouvir a trilha original, ou no idioma em que eu quiser, de preferência sem as legendas…

  • Luiz Carlos

    Ulisses:

    Espero que as pessoas não fiquem chateadas com o meu comentário, gosto muito do seu “Site”, tiro dúvidas valiosas dele, aliás, virei seu fã quando assisti uma entrevista contigo. Acho que maior dificuldade das pessoas é a interpretação de texto, e que esta em português! Sei que este não é o objetivo do “Site”, senão o nome não seria “TeclaSap”. Mas acho as pessoas deveriam ler mais, principalmente nossos jovens. Eu conheço vários, inclusive cursando faculdade, que leem um texto e não conseguem explicar o que leu.

    Obrigado por este “Site”…

  • Rafael

    Filme

    Original: Giant
    Brasil: Assim caminha a humanidade
    Portugal: O gigante

    Original: Rebel without a case
    Brasil: Juventude transviada
    Portugal: Fúria de viver

    Original: The sound of music
    Brasil: A noviça rebelde
    Portugal: Música no coração

    Original: The way we were
    Brasil: Nosso amor de ontem
    Portugal: O nosso amor de ontem

    Original: Shane
    Brasil: Os brutos também amam
    Portugal:

    • Leandro

      Vejam o exemplo de “Se Beber não case”, em inglês o filme se chama “Hangover” que se fosse traduzido de forma literal, seria “Ressaca” aqui no Brasil. No Primeiro e segundo filme, o nome ” Se Beber não case” funciona de maneira legal com o enredo do filme, mas acontece que o terceiro filme que ainda vai ser lançado não tem história nenhuma de casamento, e aí será que vai chamar “Se Beber não case 3” mesmo não tendo nenhuma história de casamento no filme?

  • Pablo

    Já fazem algumas semanas que venho notando que no navegador google crome não aparece todo o conteúdo postado da matéria. Só estou postando aqui porque, esta é uma que está ocorrendo o erro. Uso tbm o explorer com pouca frequência é claro e que não ocorre o referido erro.Só aparece o texto, sem o itálico, noto que isso ocorre no meio do assunto onde deveria estar o texto aparecem linhas. Bom espero que isso possa ajudar de alguma forma. Com certeza é algum erro que não deveria ocorrer, e que para mim deve ser do navegador, mas só ocorrer com o Tecla Sap. Desculpa postar aqui mas achei mais conveniente.

    • Pablo,

      Obrigado pelo feedback. Deduzo que o problema deve ter sido em caráter temporário. Aqui, as páginas abrem normalmente nos dois navegadores. Vamos ver se mais gente relata problema parecido. Valeu!

      Abraços a todos

  • Fábio Costa

    Um pequeno desafio:
    Quem sabe como ficaram os títulos em português dos filmes abaixo?
    – Giants
    – Rebel without a cause
    – The sound of music
    – The way we were
    – Shane

    • “The sound of music” não é “A noviça rebelde”?

  • Washington

    Tem alguma coisa errada com esse site guia da semana. Abri no Opera e depois no Internet Explorer e continua a mesma coisa. Só aparece isso:

    “Sorry… Qual é o nome mesmo?
    Já parou para pensar quem batiza os filmes em português? Saiba como os títulos são escolhidos quando uma produção chega ao mercado nacional
    Por Meriane Morselli

    Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do Guia da Semana. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.”

    Cadê o resto da matéria? O título não aponta pra nenhum link.

    • Ulisses

      Washington,

      Tudo bem? Obrigado pela informação, mas o site é externo ao Tecla SAP. Não há nada que eu possa fazer se a matéria foi tirada do ar.

      Abraços a todos

  • Ulisses

    Richard,

    Obrigado pelo interesse no Tecla SAP. Clique aqui para saber como esclarecer sua dúvida.

    Abraços a todos

  • [email protected]

    o que significa no what’cha a abreviatura “cha”?

  • Ulisses

    Stupid,

    Não há nada de errado com você, exceto o seu nick! 😉 O artigo mudou de endereço. Já fiz a atualização.

    Abraços a todos

  • Ulisses

    Carina,

    Obrigado pela participação aqui no Tecla SAP. Volte outras vezes.

    Abraços a todos

  • Stupid

    Posso ser muito burra, mas não consegui abrir o artigo. Ao clcar no nome deste, abre a página da uol. Não encontrei o artigo na uol. Alguém pode me ajudar?

  • Carina Fragozo

    Ok, mas muitas vezes é impossível traduzir um título literalmente, como em “Monster in law”. O Filme foi traduzido para “A sogra”, pois seria muito difícil fazer o mesmo jogo de palavras que foi feito em inglês no português.
    Um abraço

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Paradoxal,

    Pois é, até mesmo o autor de uma obra não tem mais voz ativa depois de vender os direitos do filme. O mesmo se aplica a livros. Os novos donos fazem o que bem entendem. Traduzi um roteirista de Hollywood esta semana que afirmou a mesma coisa. Depois de vender os direitos de seu roteiro, você tem que levantar a mão pro céu quando reconhece um trechinho de sua história na tela do cinema.

    Abraços a todos

  • Paradoxal

    legal a postagem dos títulos…
    eu simplesmente me enfureço com a tradução não-literal dos títulos…
    confesso que se criasse um filme, não permitiria essa amputação… =P

    muitas vezes o título muda só pra chamar à atenção, ou até mesmo, prevenir o brasileiro de pensar um pouco, resolver o enigma do título.

    saúde!

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Está aqui a resposta:

    No Brasil, os filmes chegam pelas mãos de empresas chamadas distribuidoras – como Warner Bros, Columbia Pictures, UIP e outras -, que batizam os longas para o mercado nacional e, às vezes, deixam o público sem entender quase nada! O principal motivo da escolha do nome é comercial, fazendo os profissionais de marketing quebrar a cabeça até chegar a uma decisão.

    Abraços

  • Anonymous

    Desculpe, Ulisses, mas se a resposta esta la, esta bem escondida, pois nao consegui achar!
    Tem sim, quem NAO traduz os titulos, mas infelizmente e so!

  • Ulisses Wehby de Carvalho

    Ué, não leu o texto da jornalista? A resposta da tua pergunta tá lá.

    Abraços a todos

  • Anonymous

    Muito interessante essa questão dos títulos. Mas afinal, quem cria os títulos dos filmes? That´s a good question!