Anúncios, recomendações e programa de afiliados

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ulisses Wehby de Carvalho

Anúncios, recomendações e programa de afiliados

I don’t like to be offered products. Esta foi a justificativa dada por uma pessoa que cancelou seu cadastro na lista de e-mails do Tecla SAP outro dia. O preenchimento desse campo é facultativo, mas, mesmo assim, muita gente gosta de explicar por que está saindo da lista. Escrevi sobre o assunto em “As razões para sair da lista de e-mails“. Dentre as mais frequentes, a que mais me causa espanto é Too much (sic) e-mails. Juro que tenho vontade de responder: Apparently not enough!

anúncios

Acho estranho a pessoa “não gostar que lhe ofereçam produtos” vivendo em uma sociedade em que a exposição a anúncios começa assim que o despertador toca e continua até a hora de dormir. Para fugir da publicidade presente em jornais, revistas, rádio, televisão (inclusive na TV paga!), mala direta, internet, celular, outdoor, backlight, telões, dentro do ônibus e do metrô, panfletagem, em balões e dirigíveis,  elevadores, caminhão do gás, a voz de ambulantes com ou sem carro de som, nas faixas de aviões nas praias, no indefectível apito do amolador de tesouras etc. só mesmo indo ao shopping!

Todo mundo pode, menos o blog educacional? I don’t think so! Actually I know so!

Anúncios

Sempre pautei pela transparência e nunca escondi o fato de que este é um blog com fins lucrativos. O título do post “Com fins lucrativos” não poderia ser mais explícito. Faço naquele texto uma distinção entre os anúncios do programa Google AdSense e os de anunciantes específicos. Os do AdSense são os que aparecem entre o título e o primeiro parágrafo dos textos e também no rodapé da página. Sobre essas mensagens publicitárias, eu não tenho controle. Os anunciantes são escolhidos – e aprovados! – pela própria Google com base na relevância do texto em que são exibidos. Os anúncios específicos são como os da Englishtown, que aparecem na barra lateral direita em todas as páginas do blog.

Programa de afiliados

O Tecla SAP participa de vários programas de afiliados e recebe, sim, uma pequena comissão quando uma transação comercial é realizada. O consumidor final, no entanto, não paga nada a mais por isso. É evidente que não recomendo produtos e serviços em que não confio. Presto, digamos, um serviço de curadoria por conta da experiência que acumulei ao longo de quase quatro décadas de estudo da língua inglesa.

Produtos e serviços

O Tecla SAP oferece uma gama variada de infoprodutos – e-books e serviços por assinatura – próprios e de parceiros comerciais. A lista completa de e-books está aqui. O programa Textos Mastigados é outro infoproduto, um dos serviços por assinatura do Tecla SAP. Ocasionalmente, também divulgo cursos de colegas de profissão, como nesse webinário sobre pronúncia e fluência com o Prof. Adir Ferreira que, diga-se de passagem, foi um enorme sucesso.

Cursos de inglês

Recebo com frequência pedidos para que eu opine sobre os mais diversos cursos de inglês.

  • Ulisses, o que eu faço para aprender inglês?
  • Qual é a sua opinião sobre a escola X?
  • O que você acha do método Y?
  • Qual é o melhor método?
  • Qual é o caminho das pedras?

Como não tenho tempo, infelizmente, para prestar consultoria individual por e-mail, aproveito o espaço do blog para escrever textos genéricos que, espero, ofereçam subsídios para as pessoas tomarem decisões mais conscientes e que, em especial, levem em conta suas características individuais. Exemplos de artigos assim são “Como ser tradutor e intérprete” e “O que você vai tirar da sua agenda?“.

A onda mais recente de questionamentos se refere aos cursos de curta duração que prometem fluência em alguns meses. Sobre esse tema em particular, já emiti opinião em “Quanto tempo vou levar para ser fluente em inglês?“. Em geral, esses programas são cercados de muita motivação e tem, em sua maioria, uma carga de trabalho intensa e, portanto, exigem dedicação total. Por essas razões, podem, de fato, trazer resultados, desde que sejam observadas algumas das condições descritas no texto indicado.

Quanto às técnicas usadas por esses cursos para convencer seus possíveis alunos, elas não são assim muito diferentes daquelas empregadas por profissionais de propaganda & marketing que trabalham para empresas que comercializam produtos de consumo. Vai me dizer que você nunca viu comercial de pasta de dente, de sabão em pó, de cerveja, de automóvel ou de margarina? Algum desses anúncios promete menos do que a felicidade total e absoluta? Tem até refrigerante com nome de água! People, pleeeease!

Assim como em todas as decisões de compra descritas no parágrafo anterior, cabe a você pesquisar, experimentar e tirar suas próprias conclusões. Não somos mais crianças. Tampouco sou o dono da verdade para encontrar a resposta que será totalmente segura, precisa e personalizada e que, ainda por cima, atenda 100% de suas necessidades individuais. Cada caso é um caso.

Fritas acompanha? 😉

Cf. 10 dicas infalíveis para aprender inglês

Cf. Os 10 erros mais comuns de quem estuda inglês

Cf. Como melhorar o listening? A dica que você nunca ouviu…

Speak up! We’re listening…

O que você achou do texto sobre anúncios, recomendações e programa de afiliados? O que você acha da publicação de anúncios em blogs educacionais? Por favor, envie sua opinião sobre o tema na seção de comentários, no rodapé da página. Muito obrigado pelo interesse.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

2 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Romina
Romina
6 anos atrás

Gostei do artigo e creio que esclareceu bem. Propagandas enganosas existem e sempre existiram nós como consumidores é que temos que peneirar. Propaganda do tipo “pago em dobro se você não aprender” deveria ser; ” Só pague se aprender”. Então sim daria para sentir firmeza e acreditar que o cara confia no produto dele. Mas se você tem que pagar antes, há alguma coisa de podre no reino……

Andre
Andre
6 anos atrás

Desculpe, mas assim como essas pessoas eu também não ouço rádio tradicional, não vejo televisão, uso programas para bloqueio de anúncios na internet e ao sair de casa não presto atenção nas propagandas visuais nem auditivas. A gente acostuma o cérebro a ignorar. É automático.

Concordo que o vendedor ou indivíduo que recebe comissões merece recompensa por seu trabalho. No entanto, a publicidade passou de todos os limites ao fazer falsas promoções, prometer o que não pode ser cumprido, causar poluição visual, ludibriar o consumidor de modo a fazê-lo pagar prestações com altas taxas de juros, mascarar ou exagerar as qualidades do produto ou serviço e outras irregularidades. Além de que a maioria das empresas, sobretudo as multinacionais, não respeitam os consumidores, não são atenciosas, dificultam a comunicação por e-mail e telefone e não respondem claramente às dúvidas. Alguns exemplos são os fabricantes de produtos odontológicos, eletrodomésticos, eletrônicos, as empresas de telecomunicação, roupas e calçados.

Por fim, agradeço a oportunidade de me expressar.