Legendagem: conheça a rotina do profissional das legendas

Tempo de leitura: 6 minutos

Legendagem by Flávia Fusaro

LEGENDAGEM

legendagem

LEGENDAGEM

A manhã começa e lá estou eu, com o computador ligado, depois de checar os e-mails diários. O arquivo digital de vídeo está aberto dum lado e o Word, do outro. Os dicionários eletrônicos e o Google também estão a postos, aguardando a consulta mais ou menos frenética, conforme o nível de dificuldade e/ou informalidade do enredo de hoje.

Cf. Dicas de site: Como pesquisar no Google

O filme começa a rodar, e graças à era digital, tudo é controlado pelo teclado. Há muito tempo o videocassete ficou para trás… Ainda bem! O respectivo roteiro chegou na última hora. Ufa! Não vai ser preciso voltar inúmeras vezes cada cena a fim de conferir o que está sendo dito (depois de tanto tempo de experiência, aprendi a identificar se o roteiro é ou não de confiança…).

legendagemNo começo, devido aos créditos do filme na parte inferior da tela, as legendas devem ficar na parte superior da mesma. O cliente exige o uso de um sinalzinho para indicar isso. É preciso atenção. Passam-se alguns minutos de filme e a legendagem vai bem, segue tranqüila. Os diálogos são espaçados, simples, por enquanto. (Ainda bem que não é um Woody Allen!) Oba, vai ser fácil e rápido… Doce ilusão… logo, logo, vão aparecendo os desafios:

Pull 52 good bennis, and take home a car.

“Bennis”? De onde foram tirar isso? A explicação dos dicionários não cabe… Google nele. Descobri: é de Benjamin Franklin, que está na nota de US$100. Problema resolvido, bola pra frente.

Cf. Moedas americanas: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Will Macy’s tell Gimble’s?

E agora? Não quero usar os nomes das lojas, prefiro “mastigar” a informação para o telespectador neste caso, visto que o público é variadíssimo: “O concorrente será avisado?” Maravilha, a frase tem 28 caracteres, perfeita para os dois segundos que ficará na tela.

“I’ll try to find ice, since we are in Iceland”.

Ah, começo a quebrar a cabeça pra tentar uma adaptação, mas não posso mudar o nome do país. Não tem jeito:

“Tentarei achar gelo,
já que estamos na Islândia.”

Fazer o quê? Nem tudo é perfeito.

I’m the rapper.
Oh, for real. And here’s the 611 on that.

– That’s phone repair. You mean 411.
– Right.

Mais uma. Volto para a internet e descubro que 611 é o número discado nos Estados Unidos para solicitar serviços de reparos telefônicos, e 411 é o número para obter informações. Depois de desvendar o mistério, parto para a adaptação… Os trocadilhos continuam, desafiando os padrões gramaticais e de estilo do cliente, que não são poucos.

They’re chewing my ears off wanting to know when
you’re going to launch a murder enquiry.

Ih, a tradução dessa fala tem de caber em uma linha e meia… e não posso usar gírias…

You are a nation of peeny-weeny,
piffling, piccolini, piddly-diddly pouft!

Pelo amor de Deus, alguém me socorre. Essa legenda deve ficar quatro segundos na tela, o que vou escrever aqui??? Ainda por cima, tem de fazer sentido para um público amplo, não posso usar na legendagem termos regionais, que só serão compreendidos aqui em Sampa.


Vocabulário

Assista aos vídeos da playlist Vocabulário do canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube! Você já deve saber que é preciso esforço diário para você conseguir aumentar seu vocabulário de inglês. Ter um vocabulário rico e variado na língua inglesa é fundamental para você se comunicar com muito mais confiança em inglês, principalmente, se você tiver interesse no mercado de legendagem!

Clique aqui e confirme para se inscrever gratuitamente no canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube. Enriqueça seu vocabulário de inglês, aperfeiçoe sua pronúncia e amplie seus conhecimentos gerais. Bons estudos!


– I’ll watch your back.
– It’s me front I’m worried about.

Três segundos para fazer esse trocadilho? (Nota de rodapé não pode na legendagem, nem gíria, lembre-se.)

Cf. Duplo sentido: como eu digo a expressão “duplo sentido” em inglês?

This was like the Keystone Kops
versus The Gang That Couldn’t Shoot Straight.

Não entendi nada, mas como o roteiro é legal (eu bem que avisei…), veio tudo explicadinho:

Keystone Kops: an incompetent group of policemen featured in silent films from 1912 to 1917.

The Gang That Couldn’t Shoot Straight: a film from 1971 about an incompetent gang of hoodlums.

Cf. COPS / BOBBIES: por que os policiais são chamados assim?

Ajudou muito!!! Traduzir ao pé da letra não dá, claro. Mais meia hora pensando numa adaptação que dê exatamente esse sentido. Não, não posso usar “É o roto falando do rasgado”, pois tenho duas linhas com 32 caracteres para encher, já que a fala dura quatro segundos. Quem disse que legendagem era fácil?

legendagemWe want you to find this…

because the finding of this
finds you incapacitorially finding…

and/or locating in your discovering a way
to save your dolly belle, ol’ what’s-her-face.

Savvy?

Hoje é dia… e eu que achei que seria rápido e fácil…

Thank you!

Essa não! O personagem é hermafrodita, não tem gênero explicitamente definido no filme. Não posso eu, mera tradutora, estragar o contexto. Vai ficar: “Eu agradeço”. É, nem um simples “obrigado/a” sai ileso após um dia de legendagem. 😉

Cf. Acertos em legendas

CfTradução Simultânea

CfTradução Simultânea, Oscar e Porta dos Fundos

Speak up! We’re listening…

Nós do Tecla SAP queremos muito saber o que você achou das dicas de Flávia Fusaro sobre legendagem. Participe enviando sua opinião na seção de comentários, no rodapé desta página. Muito obrigado!

Pela educação

Compartilhe este texto com aqueles amigos que têm interesse no mercado de legendagem. Você pode compartilhar o post na rede social de sua preferência ou, é claro, nos grupos do Facebook e WhatsApp. Nunca é demais repetir que sua colaboração é fundamental para que, juntos, possamos levar conteúdo educacional a cada vez mais pessoas. O Tecla SAP e a educação agradecem.

A autora

Flávia Fusaro é intérprete e tradutora credenciada pela ATA, e atua no mercado de legendagem desde 1996. É responsável pela versão da HBO das seguintes séries: Roma, Amor Imenso, e também pela legendagem dos títulos: Piratas do Caribe 2, Os Infiltrados, Happy Feet, A Casa do Lago, O Código da Vinci, Superman, o Retorno, entre outros. E-mail: <[email protected]>

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

50 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Aislan Araujo
Aislan Araujo
2 anos atrás

Boa tarde, Fer! Tem como fazer um teste para essa empresa para qual vc trabalha?

Sonne
Sonne
3 anos atrás

Olá! Tenho interesse em trabalhar como tradutora (poderia ser tanto com legenda quanto com livros), mas não sei como chegar nas empresas…
Tentei enviar mensagens para algumas (tanto perguntando sobre isso quanto enviando currículo) mas só uma me respondeu :c

Gabriela Barreira
Gabriela Barreira
3 anos atrás

É tão bacana ver que, mesmo depois de tanto tempo, meu comentário rendeu. Sempre recebo email de pessoas interessadas em legendar. É uma arte!

Leandro Gomes Mantovani
Leandro Gomes Mantovani
3 anos atrás

Ola, estou querendo me profissionazilar tradutor de legendas e o texto do site me deixou curioso: atualmente o script original do filme é sempre disponibilizado para o tradutor que é contratado pra fazer a traduçao e as legendas, ou existe a chance de que ele tenha que traduzir tudo de ouvido?

Ulisses Wehby de Carvalho

Mateus, tudo bem?

E tudo isso com a limitação de espaço e tempo… Não é brincadeira para amadores… 😉 Obrigado pela visita e pelo comentário. Volte sempre!

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho

Angel, tudo bem?

É fácil… é só gostar do que se faz e não parar de aprender nunca. 😉

Abraços e volte sempre!

Angie Costa
Angie Costa
3 anos atrás

Oi Sr. Ulisses! Hoje, dois anos depois desse meu comentário, não sei se sou como vc kkk, mas sou professora de inglês e tô aprendendo a legendar. Uma diferença grande do que eu sabia pra o que sei agora. Grande parte disso devo a teus conselhos e informações. Obrigada, cara!!!

Ulisses Wehby de Carvalho
Reply to  Angie Costa

Angie, tudo bem? Muito obrigado pela gentileza, mas o mérito é todo seu! Ter disposição para sempre aprender algo novo é fundamental. Parabéns! A gente se fala…

Guilherme Weiß
Guilherme Weiß
5 anos atrás

Minha primeira experiência com esse tipo de serviço foi legendar para mim mesmo um filme do “Resident Evil” e um episódio de “The Pickup Artist” para um amigo. Foi muito divertido e tive que recorrer monotonamente ao Google para ter certas noções.

Osmar Oliveira
Osmar Oliveira
5 anos atrás

Como faço para legendar um filme.Tenho um de 1964 e não encontrei a legenda na internet.

Jefferson Fernandes
Jefferson Fernandes
4 anos atrás
Reply to  Osmar Oliveira

Você precisa baixar um programa específico para legendar qualquer tipo de filme, série, etc. Que tal o Subtitle Workshop?

Guilherme Weiß
Guilherme Weiß
4 anos atrás
Reply to  Osmar Oliveira

Tem um programa super user friendly chamado “subtitle workshop”. Já usei algumas vezes e não me decepcionei. Mas talvez alguém saiba melhor do que eu :/

Guest
Guest
5 anos atrás

Minha primeira experiência com esse tipo de serviço foi legendar para mim mesmo um filme do “Resident Evil” e um episódio de “The Pickup Artist” para um amigo (se bem que nos dois casos as legendas eram em inglês mesmo, creio que “caption” caia melhor). Foi muito divertido e tive que recorrer monotonamente ao Google para ter certas noções.

Isa de Oliveira
Isa de Oliveira
6 anos atrás

Adorei!!
Tô começando a brincar de legendagem, peguei uma série australiana pra legendar para uma amiga e achava que sofria!!
Lendo sobre seus desafios, me sinto num mar de rosas… sou livre pra adaptar gírias de Sampa, pq basicamente só meus amigos vão ver… Mas quero começar a me impor esses limites aos poucos, pra ir aumentando meus desafios e, consequentemente, meus conhecimentos! 😉
Parabéns pelo trabalho, pago o maior pau!! =D

Rodrigo
Rodrigo
9 anos atrás

– I’ll watch your back.
– It’s me front I’m worried about.
O diálogo acima por mim ficaria:
– Te dou cobertura.
– Eu estou preocupado é com o recheio.
hehe, mto bom o post, a propósito 😉

Simone
Simone
9 anos atrás

Oi, Ulisses!
Nem sei se você ainda vai responder este comentário mas gostaria muito que o fizesse.
Você tem muita razão em falar dos acertos. Eu morei em Nova York por quase 10 anos e adoro sempre ver a legenda dos filmes. Às vezes, eles acertam legal. A tradução fica genial. Mas na maioria das vezes é aquela coisa curta e que por vezes mata o original. Casos como esse aí, onde criatividade e genialidade, são raros.
Mas, tem um filme, e eu não consigo lembrar bem qual é.. mas se não me engano é o Love Actually, tenho certeza que é uma comédia romântica cuja tradução é miserável. Acho que até no título erraram. Você sabe, sempre tem um ou outro filme assim.
Enfim, seria legal falar sobre isso também. Sou nova no seu site. Irei ver os outros posts.. a propósito, achei seu site ao buscar informações de curso de intérprete na Net. Vi uma entrevista sua no Jô. Gostaria de saber se a Unibero ainda tem aquele curso que você ministra.
Bom, espero obter resposta.
Beijos e parabéns pelo trabalho aqui no site!
Simone
(PS: Tentei postar isso no outro post sobre “acertos em legendas” e não deu certo)

Hugo Leonardo
Hugo Leonardo
8 anos atrás
Reply to  Simone

Queria deixar a minha indignação sobre as traduções feitas por tradutores profissionais, como a Rossana Pasquale, onde as regras da língua portuguesa estão sendo deixadas para trás.

Eu como telespectador não tenho tanta obrigação em saber o português, mas uma profissional em tradução e legendas sim.

Ver um filme com o verbo estar conjugado como “tá”, frases começando com pronomes oblíquos, letras minúsculas depois de pontuações, conjugação do imperativo errada, tradução de onomatopéias, quebra de linhas no meio da oração, sério…

Assisti Gato de Botas agora e é revoltante ver esses erros grotescos.

Traduzir de script, roteiro, não saber se é masculino ou feminino, é aceitável, mas não matem a língua portuguesa, principalmente uma profissional que está na área a mais de uma década, deveria tratar o português com carinho e atenção, por favor.

Graziela
10 anos atrás

P.S:Desculpa ae, assim como vc e todos os outros da área! XD Tem que falar de forma geral neh! ^^ LOL

Graziela
10 anos atrás

Pouutz!! (foi mal!) Realmente não é nem um pouco simples esse trabalho que admiro e que quero seguir em minha vida! Tenho 16 anos e aproveito bastante tbm as saídas que vejo em filmes/seriados, para que no futuro me torne uma ótima profissional, assim como vc!! Parabéns e sucesso!!!

Patricia
Patricia
11 anos atrás

Adorei o post. Tinha mesmo curiosidade de saber como funciona o trabalho de legendagem.

Muito obrigado por compartilhar !!

Abraços,

Patricia

Samir Aguiar
Samir Aguiar
11 anos atrás

Parabéns, achei o post fantástico.

Mas tenho só uma dúvida: você legenda e faz a sincronia também? Como você entrega para a empresa?

Já tinha noção de como é difícil traduzir. Uma vez fiz parte da equipe de tradução de um jogo… além de serem 10 megabytes só de diálogo no bloco de notas, 80% eram gírias, expressões e piadas internas. Sem contar o problema do gênero, que é muito difícil. E tudo tem de ser traduzido de forma uniforme, para que todos entendam.

Aprecio muito esse trabalho, pois, além de conhecer as dificuldades, sou um dos que não conseguem ver filmes dublados (que diga-se de passagem, acabam com o filme – o som fica baixo demais em muitos diálogos e alto demais nas cenas mais agitadas, os dubladores mesmo se esforçando muitas vezes não passam a real emoção da cena e nem sempre as vozes dadas combinam com o personagem), então, desejo muito sucesso!

Um abraço,
Samir

Klebson
Klebson
11 anos atrás

Impressionante. Já fiz minhas traduções aqui e acolá e sei muito bem o que você passou. Mas como nunca traduzi profissionalmente, nunca atentei para a questão de quanto tempo a legenda ficaria na tela… realmente tradutor sofre!

Angela Barbosa
Angela Barbosa
12 anos atrás

Flávia, amei seu texto, é rico e divertido. Parabéns!
Um dos muitos fatos que leitor consegue enxergar é o de não poder usar gírias.. eu nunca tinha atentado pra isso, que gírias podem ser tão locais que não serão entendidas fora da região. Pequeno grande detalhe!!
Eu sempre fui apaixonada por Inglês, e hoje eu vejo que me faltou orientação pra escolher a carreira, que pena! No momento que li o finalzinho do comentário da Rossana, eu entendi que daria uma feliz tradutora/intérprete.
.

Breno
Breno
12 anos atrás

Legendar realmente é complicado, porém tem alguns profissionais que abusam da nossa paciência, por exemplo os que trabalham para o Multishow (Globosat). Outro dia vendo o clipe ‘Give It 2 Me’ da Madonna quase mudei de canal. Eles destruíram a letra da música, que já nào é nenhuma poesia. Quando ela diz “give it to me” aparece na legenda “vem que tem”!!! Fala sério! Fora que “get stupid” virou “faça palhaçada”. Tudo bem que é similar, mas ficou uma palhaçada! A Multishow é o canal rei em estragar diálogos com suas legendas mal feitas.