Fresco! Como se diz “fresco” e “cheio de frescura” em inglês?

Tempo de leitura: 2 minutos

Fresco by Michael Jacobs

FRESCO 1

fresco

Como se diz “fresco” e “cheio de frescura” em inglês?

A pergunta

Gostaria de saber se existe, em inglês americano, um equivalente para a palavra “fresco” (como adjetivo) ou “cheio de frescura”, no sentido de uma pessoa que faz muitas exigências, é “cheia de nove horas”.

A resposta do Prof. Michael Jacobs

“Cheio de frescura” – em que “frescura” é substantivo e “fresco” é adjetivo – seria, tanto em inglês americano como em inglês britânico, fussy; picky; choosy. Também se aplica para “cheio de nove horas”. Humm! Fazia tempo que não ouvia essa expressão… Como será que ela se originou?

  • Maud is very fussy about her food: won’t eat anything out of cans.
  • Maud é muita fresca a respeito de comida: não come nada enlatado.
  • He isn’t picky about food: just lives out of cans.
  • Ele não é fresco; apenas come comida enlatada.
  • If you’re a beggar, you can’t be choosy.
  • Se você é mendigo, não pode ser fresco.

Adaptei essa última de uma frase comum, Beggars can’t be choosers.


Tecla SAP com Ulisses Carvalho

Assista aos vídeos do canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube! Dicas de vocabulário, pronúncia, phrasal verbs, Business English, gírias, expressões idiomáticas, como aprender inglês com música, falsos cognatos, como melhorar o listening, erros comuns e como evitá-los, estratégias de aprendizado e muito mais!

Clique aqui e confirme para se inscrever gratuitamente no canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube. Enriqueça seu vocabulário de inglês, aperfeiçoe sua pronúncia e amplie seus conhecimentos gerais. Bons estudos!


Fresco by Ulisses Wehby de Carvalho

FRESCO 2

fresco

Para dizermos o adjetivo “fresco” na língua inglesa, geralmente empregamos a palavra fresh. Tenha cuidado, contudo, ao verter para o inglês as seguintes expressões dos exemplos.

  • wet paint
  • tinta fresca
  • cool water
  • água fresca
  • The air is cool.
  • O ar está fresco.
  • fresh air
  • ar fresco
  • fresh start
  • recomeço

Cf. Frescura! De que maneiras podemos dizer “frescura” em inglês?

Cf. Folgado! Como se diz a gíria “folgado” em inglês? Existe equivalente?

Cf. Skype: os 7 erros mais comuns de inglês no Skype

Speak up! We’re listening…

Gostou das dicas? Você já sabia dizer “fresco” e “frescura” em inglês ou as informações foram novidade? Como você traduziria o provérbio Beggars can’t be choosers, citado pelo Prof. Michael Jacobs no texto? Nós do Tecla SAP gostaríamos de saber o que você achou. Por favor, responda no rodapé desta página, na seção de comentários. Muito obrigado.

Referência 1

Tirando Dúvidas de Inglês, de Michael Jacobs, Disal Editora, 2003. Leia a resenha para obter mais informações sobre o livro.

Referência 2

Dicionário dos Erros Mais Comuns em Inglês, de Ulisses Wehby de Carvalho – Editora Campus/Elsevier, 2005. Leia a resenha.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

14 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback

[…] Cf. Vocabulário: Fresco / Cheio de frescura […]

Ulisses Wehby de Carvalho

Cristian, como vai?

Muito obrigado pelas palavras simpáticas e pelo interesse no Tecla SAP. Agradeço em nome de toda a equipe. Valeu! Volte sempre!

Abraços

Filipe Bragança
5 anos atrás

Nice, thanks for sharing

Ulisses Wehby de Carvalho

Hi Filipe,

Thanks for taking the time to write to us. We really appreciate it.

Take care

Lucas Serôa
Lucas Serôa
5 anos atrás

mendigos não podem ser frescurentos

Marlon Marcello
6 anos atrás

Thanks!

Edson
7 anos atrás

“Este será o post mais visitado do dia 20/01/14!”.

Nat
Nat
9 anos atrás

Os norte-americanos usam a expressão No-Frills que significa sem babados e sem floreios quando querem dizer que algo ou alguem não tem frescura. Essa expressão no-frills é usada ate para se referir a carros que vem sem nenhum acessorio opcional, um pacote de viagens na classe economica e tudo mais que contem apenas o essencial, sem nenhuma frescura mesmo.

Lilian Jenkino
Lilian Jenkino
13 anos atrás

A respeito das teorias das nove horas, encontrei um artigo interessante em: . Veja:

CHEIO DE NOVE-HORAS

O escritor Malba Tahan explica em seu livro Os Números Governam o Mundo, que antigamente nove horas era frase familiar de despedida, porque assinalava o termo de uma visita ou de uma prosa. Com a frase “São nove horas e não chove”, o visitante revelava ao visitado o seu desejo de partir, enquanto outras pessoas, nas ruas, avisavam em voz alta: “Nove horas! Nove horas! Quem é de dentro, dentro, quem é de fora, fora…”. Mas quando a visita era importante, ou interessava de modo especial ao dono da casa, este ponderava amigavelmente: “Ora, não esteja, desde já, com nove-horas”, ou ainda, “O senhor está cheio de nove-horas”.

Em sua obra aqui mencionada, o celebrado professor de matemática e escritor também informa que o poeta mineiro chamado Ataliba Lago dava outra explicação curiosa para a origem da expressão. Dizia ele em um de seus trabalhos: “Existe uma planta, a sensitiva, ou maria-fecha-a-porta, que é pelo nosso sertanejo denominada nove-horas. Ao menor toque essa planta ‘se encolhe’ toda, pois é muito sensível e delicada. A pessoa cheia de luxos e melindres, é por isso denominada ‘cheia de nove-horas “.

São numerosos os registros onde está presente a anotação de que nos tempos passados as pessoas se recolhiam às suas casas, costumeiramente, às nove horas da noite. Por isso, quando os ponteiros dos relógios se aproximavam desse horário limite, a praxe era de que as visitas chegassem ao fim, os jogos ou qualquer outro tipo de divertimento terminassem, e homens e mulheres tomassem o caminho de suas respectivas residências. Esse costume europeu chegou ao Brasil ainda nos tempos coloniais, sabendo-se que por volta do século dezenove os policiais do Rio de Janeiro e de algumas outras cidades brasileiras obedeciam ao pé da letra um dispositivo do seu regulamento onde ficava explícito que depois das nove horas da noite, “ninguém será isento de ser apalpado e revistado”.

Daí que essa expressão foi-se tornando popular, embora o seu sentido original tenha sofrido modificação, e agora é usada sempre que se deseja insinuar que algum sujeito é cheio de etiquetas e manias, transbordante de melindres, ou absolutamente chato em suas exigências e censuras. Diz-se, então, que essa peça rara é “cheia de nove-horas”.

FERNANDO KITZINGER DANNEMANN
Publicado no Recanto das Letras em 16/12/2005
Código do texto: T86791

[ ]s!

Rogéria
Rogéria
13 anos atrás

Dúvida: “out of…”

Saudações!
Ulisses, poderias nos exclarecer o “out of” dando a idéia de “in”? Nas frases: “…won’t eat anything out of cans” = “não come nada enlatado”); “…just lives out of cans” = “apenas come comida enlatada”. Esse “out of” PARECE que inclui tudo MENOS… se eu não visse as traduções, diria algo como: “não come nada de comida que não seja enlatada” e “come tudo menos enlatados”.

Podes comentar mais sobre essa expressão?
Thanks!!

Emilio MANSUR
Emilio MANSUR
13 anos atrás

Origem: Nove horas era a hora clássica do séc XIX, que regulava o final das visitas e ditava o momento das despedidas. A expressão cheio de nove horas surgiu nessa época para designar alguém que ditava regras de conduta e restringia as alegrias dos outros, complicando as coisas mais simples.

Fonte: http://www.filologia.org.br/pereira/textos/aorigemdasfrases.htm