Periferia: como dizer “periferia” em inglês? Existe palavra equivalente?

Tempo de leitura: 7 minutos

Periferia by Ron Martinez

Periferia

Esgotados os poderes da ciência
Esgotada toda a nossa paciência
Eis que esta cidade é um esgoto só
Sou um punk da periferia
Sou da Freguesia do Ó

(Punk da periferia – Gilberto Gil)

Na periferia de Londres podem ser encontradas algumas das casas mais charmosas e luxuosas da Grã-Bretanha, rodeadas de campos repletos de verde e flores magníficas. Foi na periferia de São Francisco, na Califórnia, que o novo estádio de beisebol foi construído, e onde existe um novo bairro bastante promissor crescendo ao redor. E em Sydney, na Austrália, a periferia é sede da melhor universidade do país.

periferia

Na verdade, o conceito de “periferia” em inglês como no português brasileiro não existe:

periferia. 7. Urb. Bras. Numa cidade, a região mais afastada do centro urbano, em geral carente em infra-estrutura e serviços urbanos, e que abriga os setores de baixa renda da população.

(Fonte: Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa)

É claro que, física e literalmente falando, existe uma periferia geográfica de qualquer cidade, mas a periferia no Brasil é mais do que uma localização no mapa: é uma categoria socioeconômica. Para dizer periferia em inglês, no sentido de “os arredores” de uma cidade, existe outra palavra:

  • cercanias
  • the outskirts
  • Alphaville fica nas cercanias de São Paulo.
  • Alphaville lies on the outskirts of São Paulo.

Inclusive, por falar em Alphaville – uma comunidade “planejada” na Região Metropolitana de São Paulo -, é o que em inglês é chamado de suburb. Essa palavra é frequentemente confundida por brasileiros, que acham que a palavra é a mesma que “subúrbio” em português. Os suburbs são considerados, geralmente, lugares “limpos” e destituídos dos problemas típicos das grandes cidades.

Em inglês americano, ainda existe o termo boondocks para dizer “longe da cidade”, quase como a expressão “onde Judas perdeu as botas” em português. Porém, boondocks não é lugar necessariamente humilde nem perigoso – simplesmente distante.

Como dizer, então, “periferia” no sentido em que o brasileiro usa? Lugares pobres existem nos países onde se fala inglês também. Consideremos a seguinte nota que saiu no Jornal do Comércio de Recife, sobre o rapper brasileiro MV Bill:

“MV Bill é o primeiro rapper da periferia a ser escalado para um evento que reúne a fina flor da burguesia, tanto na plateia quanto no palco.”

Eu traduziria essa oração assim:

  • MV Bill é o primeiro rapper da periferia a ser…
  • MV Bill is the first rapper from the ghetto to be…

Um ghetto, no inglês atual, é onde há grande concentração de gente pobre, e normalmente dentro da cidade.

  • a periferia
  • the ghetto; the ghettos (+/-)
  • Muitos dos delinquentes nascem e morrem na periferia da cidade.
  • Many of the delinquents are born and die in the ghettos of the city.

A única diferença importante é que ele não fica na parte periférica, como no caso da periferia. Seria possível, contudo, consertar esse problema ao usar a palavra outlying (periférico): a periferia do Rio = the outlying ghettos of Rio.

Claro, além da questão geográfica (um ghetto não está situado na periferia), existem as diferenças culturais. Nos Estados Unidos, por exemplo, os ghettos frequentemente são lugares onde moram pessoas pertencentes a minorias da sociedade, como hispânicos e negros. Não obstante, é o termo em inglês que mais próximo chega à ideia de periferia.

Em 1969, Elvis Presley lançou um disco que incluía uma canção com o tema. Os paralelos com o conceito de periferia são muitos:

In the Ghetto

Elvis Presley and Mac Davis

As the snow flies,
[Enquanto neva]
On a cold and grey Chicago mornin’
[Numa manhã fria e cinzenta de Chicago]
A poor little baby child is born in the ghetto
[Um menininho pobre nasce na periferia]
And his mama cries
[E a mãe chora]
‘Cause if there’s one thing that she don’t need
[Porque se tem uma coisa que ela não precisa]
It’s another hungry mouth to feed in the ghetto
[É mais uma boca para dar de comer na periferia]

People, don’t you understand
[Gente, não o entendem?]
The child needs a helping hand
[O menino precisa de uma ajuda]
Or he’ll grow to be an angry young man some day
[Ou crescerá e será um rapaz revoltado algum dia]
Take a look at you and me
[Olhe para você e olhe para mim]
Are we too blind to see
[Será que estamos muito cegos para ver]
Or do we simply turn our heads and look the other way?
[Ou será que simplesmente viramos para o outro lado?]

Well the world turns
[Bem, o mundo dá voltas]
And a hungry little boy with the runny nose
[E o menino faminto com o nariz escorrendo]
Plays in the street as the cold wind blows in the ghetto
[Brinca na rua enquanto o vento gelado sopra na periferia]
And his hunger burns
[E sua fome arde]
So he starts to roam the streets at night
[Então ele começa a vaguear pelas ruas à noite]
And he learns how to steal
[E aprende a roubar]
And he learns how to fight in the ghetto
[E aprende a brigar na periferia]

Then one night in desperation
[Aí uma noite no desespero]
The young man breaks away
[O rapaz foge]
He buys a gun, steals a car, tries to run
[Compra uma arma, rouba um carro, tenta fugir]

But he don’t get far
[Mas não vai longe]
And his mama cries
[E sua mãe chora]

As a crowd gathers round an angry young man
[Enquanto a multidão se reúne em volta do jovem revoltado]
Face down in the street with a gun in his hand in the ghetto
[De cara para o chão com uma arma na mão na periferia]
And as her young man dies
[E enquanto seu filho morre]
On a cold and grey Chicago mornin’
[Numa manhã fria e cinzenta de Chicago]
Another little baby child is born in the ghetto
[Mais um bebê nasce na periferia]

And his mama cries
[E sua mãe chora]
In the ghetto
[Na periferia]
In the ghetto
[Na periferia]


Tecla SAP com Ulisses Carvalho

Assista aos vídeos do canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube! Dicas de vocabulário, pronúncia, phrasal verbs, Business English, gírias, expressões idiomáticas, como aprender inglês com música, falsos cognatos, como melhorar o listening, erros comuns e como evitá-los, estratégias de aprendizado e muito mais!

Clique aqui e confirme para se inscrever gratuitamente no canal Tecla SAP com Ulisses Carvalho no YouTube. Enriqueça seu vocabulário de inglês, aperfeiçoe sua pronúncia e amplie seus conhecimentos gerais. Bons estudos!


Cf. Vocabulário: Bairro de baixa renda

Cf. CITY x TOWN: existe diferença entre elas? Qual?

Cf. Como dizer “interior” em inglês? A História e a Geografia explicam…

Speak up! We’re listening…

Gostou da dica sobre como dizer “periferia”? Nós gostaríamos muito de saber se as informações extraídas do livro do Prof. Ron Martinez foram úteis para você ampliar seu vocabulário. Escreva um comentário no rodapé desta página. Muito obrigado pela participação.

Tecla SAP no YouTube

Inscreva-se no canal do Tecla SAP no YouTube e acompanhe as dicas de inglês também em vídeo. Participe! É grátis.

Referência

Como se diz chulé em inglês?, de Ron Martinez – Editora Campus/Elsevier, 2007. Leia a resenha para obter mais informações sobre a obra. Adquira seu exemplar com conforto e total segurança no site da Disal Distribuidora.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

16 Comentários
Newest
Oldest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
ig: @Rafael_Valdez
3 anos atrás

Periferia = The slums, The ghetto, The hood.

trackback

[…] Cf. Periferia: como dizer “periferia” em inglês? […]

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás

Isa, tudo bem?

Obrigado pela gentileza de comentar. Live and learn… 😉

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás

Miriam, tudo bem?

Obrigado pelo comentário simpático. Música sempre dá um toque especial às coisas… 😉

Volte sempre!

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás

José Rivaldo, tudo bem?

Uma das funções da arte é retratar a realidade como ela é. O emprego nas letras de música da grafia que retrata a fala informal de algumas pessoas é, portanto, algo absolutamente natural.

Se você falar “she don’t need” em um contexto formal, vai ficar esquisito. Se você falar “she don’t need” no “ghetto” sem ser do “ghetto”, vai ficar ainda mais esquisito.

Tem coisas que a gente aprende a identificar, mas que não vai necessariamente adotar para a gente. Sacou?

E olha que o mestre Adoniran já tinha dado essa aula faz muito tempo! “O Arnesto nos convidô… prum samba… ele mora no Brás… Nóis fumo e num encontremo ninguém…”

Abraços

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás

Allan, tudo bem?

“Hood” é abreviação informal de “neighborhood” (bairro) e não significa necessariamente “periferia”. Dependendo do contexto, de quem fala, para quem fala etc., é lógico, “hood” pode significar “periferia”.

Abraços

Marcio
Marcio
6 anos atrás

Outra opção é “deprived outskirts”. “Outskirts”, conforme explicado no artigo, significa “arrabaldes, cercanias, subúrbios”. “Deprived” quer dizer “sem recursos, que passa por privações”.

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás
Reply to  Marcio

Márcio, tudo bem?

Obrigado pela colaboração. Volte mais vezes e comente sempre que puder!

Abraços

José A. Fernandes
José A. Fernandes
6 anos atrás

Adorei ver o exemplo de In The Ghetto, uma das belas gravações de ELVIS. Abraço

José Pedro
José Pedro
6 anos atrás

Eu aprendi suburb como sendo subúrbio e agora vejo o quanto o inglês “ginasiano” só serviu para passar de ano. No primeiro momento que você citou o termo Ghetto, logo me lembrei da música do Elvis; e não é que logo abaixo você colocou a letra completa desta música? Muito bom.

Tarcisio Cardieri
Tarcisio Cardieri
6 anos atrás

Excelente explicação. E ainda veio com o bônus da canção do Elvis. Com ele deu para conhecer uma outra dimensão desse grande artista.

Weberty Rodrigues
Weberty Rodrigues
6 anos atrás

Ghetto também é usado para os antigos bairros que eram fechados e usados para “aprisionar” os judeus. Isso durante a segunda guerra mundial.

Luiz Cláudio Ribeirinho
Luiz Cláudio Ribeirinho
6 anos atrás

Ótimo artigo, como sempre. São artigos assim que demonstram que não basta saber palavras em outros idiomas: é preciso conhecer as diferenças culturais para uma tradução adequada. É interessante como nos parece lógico que as camadas sociais mais baixas morem mais afastadas dos centros comerciais, e quando estudamos casos como este, vemos que isso não vem a ser uma regra. Interessante como o estudo de um novo idioma nos dá, inclusive, uma visão mais ampla de nosso próprio mundo.

Parabéns Ron e Ulisses!

Maria Alexandra Goulias Maldon
Maria Alexandra Goulias Maldon
6 anos atrás

perfeita explicação. obrigada.

Mari Di Melo
Mari Di Melo
6 anos atrás

Legal!! Estava dando aula e surgiu essa dúvida nos alunos. Que bom que expliquei a diferença como você falou, porém não sabia do termo outlying. 😉

Ulisses Wehby de Carvalho
Ulisses Wehby de Carvalho
6 anos atrás
Reply to  Mari Di Melo

Mari, tudo bem?

Obrigado pela visita e pelo feedback. Agradeço em nome de Ron Martinez, o autor do texto.

Abraços